ASSINE

Fundo Soberano do ES atinge R$ 420 milhões, sendo R$ 10 milhões em lucro

Poupança criada pelo Estado para as futuras gerações está aplicada em ativos no mercado financeiro para garantir rentabilidade

Publicado em 07/04/2021 às 14h04
A plataforma P-48, da Petrobras
A plataforma P-48, da Petrobras. Crédito: Divulgação/Mip Engenharia

O Fundo Soberano do Estado do Espírito Santo (Funses) atingiu um saldo de R$ 420.425.234 em um ano e nove meses de existência. No período, o recurso, criado pelo governo do Estado para ser uma poupança para as futuras gerações, alcançou R$ 10.011.890 em lucro, devido à rentabilidades no mercado financeiro.

Os dados são do Relatório de Desempenho, elaborado pelo Tesouro Estadual e divulgado nesta quarta-feira (4). "Foi criado para promover o desenvolvimento econômico sustentável do Estado e proteger a economia capixaba da volatilidade das receitas do petróleo. É muito gratificante ver que, com pouco mais de um ano de repasses, o Fundo já mostra resultados tão positivos", avalia o secretário de Estado da Fazenda, Rogelio Pegoretti.

Ainda segundo o relatório, a expectativa é que até dezembro de 2021, o Funses tenha um saldo de R$ 606 milhões. "O Conselho Gestor do Fundo Soberano definiu que 60% do valor total será destinado ao Bandes e 40% ao Banestes. Assim, a previsão é que, ao final do ano, as instituições tenham, respectivamente, R$ 364 milhões e R$ 242 milhões", explicou o presidente do Conselho Gestor do Fundo Soberano (Cogef) e secretário de Estado de Ciência, Tecnologia, Inovação, Educação Profissional e Desenvolvimento Econômico, Tyago Hoffmann.

Todos os recursos do Fundo Soberano seguirão as diretrizes de investimentos já definidas pelo Cogef. Entre elas estão: investimentos em fundos de participações exclusivos (FIP), fundos imobiliários (FII), fundos em direitos creditórios (FIDC), renda fixa e fundos de ações.

O Relatório de Desempenho do Fundo Soberano apresenta como estão divididos os investimentos e ainda mostra uma análise do cenário macroecônomico brasileiro, com destaque para o mercado de petróleo.

"Os repasses feitos ao Fundo Soberano são oriundos do petróleo – royalties e participações especiais. Dessa forma, é extremamente importante acompanhar a variação do preço do Brent no mercado internacional, a variação de produção de petróleo pelo Espírito Santo e também a variação do valor do Dólar frente ao Real", acrescentou o consultor do Tesouro Estadual Alexandre Gebara, um dos responsáveis pelo relatório.

A expectativa é que, em 2021, sejam aportados no Fundo Soberano, aproximadamente, R$ 320 milhões provenientes da produção e exploração dos campos de petróleo e gás natural no Espírito Santo.

Com informações da Sefaz.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.