ASSINE

Fraude bilionária: PF apreende R$ 56 mil, joias e submetralhadora no ES

As operações Escape e Sumidouro miram empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bilhão em esquema ilegal, segundo a Polícia Federal

Publicado em 01/10/2021 às 16h17
PF apreende armas, joias e dinheiro em operações no ES
PF apreende armas, joias e dinheiro em operações no ES. Crédito: Montagem/Polícia Federal

Documentos, R$ 56,4 mil em dinheiro, joias, uma espingarda calibre 12 e uma submetralhadora. Esse foi o material apreendido durante a execução das operações Escape e Sumidouro realizadas nesta sexta-feira (1º) em empresas e residências de Vitória.

As ações coordenadas pela Delegacia de Repressão à Corrupção e Desvios de Verbas Públicas, da Polícia Federal, investigam a participação de sete empresas capixabas suspeitas de movimentar, ilegalmente, R$ 1,2 bilhão entre 2015 e 2018.

O trabalho foi feito pela PF em conjunto com a Receita Federal e o Ministério Público Federal (MPF). O objetivo é reprimir a prática de crimes contra o sistema financeiro nacional baseados em operações de câmbio ilegais, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

A pedido da PF, foi determinado judicialmente o sequestro de bens e valores na ordem de R$ 11 milhões para alvos da Operação Escape e de cerca de R$ 1 milhão para alvos da Sumidouro. Isso inclui imóveis, veículos e valores apurados em contas bancárias.

Material apreendido pela Polícia Federal
Dinheiro apreendido pela Polícia Federal. Crédito: Divulgação/Polícia Federal

O superintendente regional da Polícia Federal no Espírito Santo, delegado Eugênio Ricas, explicou que a suspeita de evasão de divisas  — mandar dinheiro para outro país de forma clandestina, sem declarar ao governo federal — foi percebida com base em relatórios enviados pela Receita Federal.

R$ 1,2 BILHÃO

É O QUE PODE TER SIDO MOVIMENTADO ILEGALMENTE

“Foi detectada nessas investigações uma evasão de divisas absurda, cerca de R$ 1 bi que foi mandado para o exterior sem qualquer lastro. Operações que foram feitas, baseadas em documentos falsos e dinheiro mandado para o exterior. A origem desse dinheiro não existe, significa que esse dinheiro pode ser fruto dos mais variados tipos de crime", analisa Ricas.

Dentre os crimes, o superintendente destacou o tráfico de armas e de drogas e corrupção. "Há indícios de que empresas que atuam na 25 de março [em São Paulo], empresas que se relacionam com grupos criminosos como o PCC (Primeiro Comando da Capital), se valem desse tipo de esquema para mandar recursos para o exterior", explica o delegado.

Representantes da Procuradoria da República, Receita Federal e PF falaram sobre crimes financeiros no ES. Crédito: Isaac Ribeiro
Representantes da Procuradoria da República, Receita Federal e PF falaram sobre crimes financeiros no ES. Crédito: Isaac Ribeiro

COMO FOI A OPERAÇÃO

Nesta sexta-feira, 42 policiais federais e quatro auditores da Receita Federal cumpriram 11 mandados de busca e apreensão na Grande Vitória e um em Itajaí, em Santa Catarina, em endereços residenciais e comerciais de proprietários e pessoas ligadas às empresas investigadas.

Os nomes dos empresários e as empresas investigadas não foram informados pela Polícia Federal.

Na casa de um dos investigados foi apreendido R$ 56,4 mil. Também foram apreendidas joias como cordões, relógios e anéis. Em uma das empresas, a PF apreendeu uma submetralhadora e uma espingarda calibre 12. Os equipamentos estão registrados, mas o proprietário não tinha autorização para guardá-los no escritório onde eles foram localizados pela polícia.

Segundo a PF, as duas operações apuram a participação de empresas capixabas no crime de evasão de divisas, por meio de processos de importação fraudulentos, com possível contratação de operação de câmbio utilizando documentação falsa, resultando em uma intensa movimentação de recursos ao exterior.

PF faz busca e apreensão em empresa suspeita de fraude no mercado de câmbio

ORIGEM DA INVESTIGAÇÃO

As investigações relacionadas à Operação Escape começaram em 2018, com a notícia de que seu o principal alvo, aliado a doleiros denunciados em outro processo, teria feito, entre 2015 a 2018, movimentações financeiras suspeitas de mais de R$ 1 bilhão. Nesta operação, é investigado um grupo formado por cinco empresas, sendo que a mesma pessoa é apontada como sócia (dona) de todas.

Diagrama da Operação Escape
Diagrama da Operação Escape. Crédito: Divulgação/Polícia Federal

Já a Operação Sumidouro é um desdobramento dos indícios apurados durante a Escape. Os documentos indicam que duas empresas, cada uma com um sócio (dono), eram responsáveis pela remessa ilegal de divisas para fora do país.

Diagrama da Operação Sumidouro
Diagrama da Operação Sumidouro. Crédito: Polícia Federal

"No curso da investigação da Operação Escape foi identificada outra empresa que atuava de maneira idêntica. Como elas tinham atuação e sócios distintos [das que operavam na Escape], foi aberta nova investigação. A forma ilegal de mandar dinheiro para o exterior era semelhante", explicou a delegada Aline Cuzzuol, da Delegacia de Combate à Corrupção da PF.

Operações Sumidouro e Escape

Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro
Empresa no bairro Jabour, em Vitória, foi alvo das operações Escape e Sumidouro da Polícia Federal por envolvimento em lavagem de dinheiro. Fernando Madeira
Armas apreendidas pela PF durante operação em Vitória
Armas apreendidas pela PF durante operação em Vitória. Divulgação/Polícia Federal
PF apreende joias durante operação em Vitória
PF apreende joias durante operação em Vitória. Divulgação/Polícia Federal
PF apreende joias durante operação em Vitória
PF apreende joias durante operação em Vitória. Divulgação/Polícia Federal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal. Divulgação/PF
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal
PF mira empresas do ES suspeitas de movimentar mais de R$ 1 bi em esquema ilegal

Os nomes dos empresários e as empresas investigadas não foram informados pela Polícia Federal.

A Gazeta integra o

Saiba mais
MPF Receita Federal Polícia Federal Procuradoria-Geral da República (PGR)

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.