ASSINE

Expansão de fábrica de cozinhas no ES vai gerar 700 empregos

Serão contratados 500 profissionais para as obras e 200 para a operação, conforme informações do governo do Estado

Tempo de leitura: 2min
Vitória
Publicado em 06/01/2022 às 19h04
Fábrica da Itatiaia em Sooretama
Fábrica da Itatiaia em Sooretama. Crédito: Bandes/Divulgação

A Itatiaia anunciou que vai ampliar e modernizar a fábrica de móveis e eletrodomésticos em Sooretama, no Norte do Espírito Santo. Para isso, vai contratar 700 colaboradores nos próximos meses, dos quais 500 vão trabalhar na obra e 200 na operação, conforme informações do governo do Estado. O investimento será de R$ 54,9 milhões.

A unidade fabril passará a contar com alta tecnologia para a fabricação de cooktops, fogões, geladeiras e cozinhas montadas e ocupará uma área de 18 mil m², de acordo com o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann. 

A previsão, segundo ele, é de que as obras comecem até março e que estejam concluídas no segundo semestre de 2022. A Itatiaia está em operação no Estado desde 2011 e conta hoje com cerca de 800 trabalhadores. Em agosto de 2021, a empresa protocolou na prefeitura da cidade a intenção de aumentar a unidade.  

Segundo informações do governo, a empresa registrou interesse em participar do Programa de Incentivo ao Investimento no Estado do Espírito Santo (Invest-ES) e terá acesso ao incentivo fiscal.

“A expansão da empresa vai proporcionar a fabricação de produtos com maior valor agregado, com reflexos positivos no desenvolvimento regional, geração de emprego e crescimento da economia capixaba. Eles até poderiam fazer essa ampliação na unidade de Minas Gerais, mas optaram pelo Espírito Santo. Acreditamos que este seja o resultado da prospecção ativa de novos projetos e ampliação de negócio, além de sermos um Estado com estabilidade política, nota A em Gestão Fiscal e com bons incentivos fiscais”, comenta.

EMPREGOS

Para as obras, serão geradas 500 vagas. A seleção, neste caso, será feita pela empresa contratada para executar a construção, prevista para durar cerca de seis meses. As chances deverão ser para cargos como carpinteiro, servente de obras e pedreiro.

Quando a expansão entrar em operação, serão necessários 200 novos colaboradores. Os postos serão para atuar nas linhas de produção em cargos como eletricista, mecânico, operador de empilhadeira, além de profissionais de gestão e engenharia. A empresa ainda está estruturando o processo de contratação.

“As contratações para operação da unidade devem ocorrer no segundo semestre deste ano. Uma das exigências do Estado é que a empresa priorize a mão de obra local. Toda a região Norte do Estado será beneficiada”, destaca Hoffmann.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.