ASSINE

ES lança plano de investimentos de R$ 9 bi; Educação será principal alvo

O pacote envolve ainda grandes obras como a ampliação da Terceira Ponte, ativação do aquaviário e o trevo de Carapina. Há também R$ 2,2 bilhões previstos para a área de saneamento

Publicado em 28/06/2021 às 08h39
O governador Renato Casagrande durante ato simbólico de vacinação dos professores do ES
O governador Renato Casagrande durante ato simbólico de vacinação dos professores do ES. Crédito: Hélio Filho | Secom ES

O governo do Espírito Santo lançou na manhã desta segunda-feira (28) um plano de investimentos públicos que vão alcançar R$ 9 bilhões. O dinheiro será destinado a todas as áreas consideradas essenciais e envolve desde obras estruturantes a melhorias em equipamentos e serviços.

O anúncio foi divulgado pelo governador Renato Casagrande na sua conta no Twitter. Segundo ele, boa parte dos recursos vai focar no segmento de educação e será o maior projeto da história do Estado para este setor.

As cifras robustas fazem parte do Plano de Investimento Público do Estado do Espírito Santo (PIP) e do Fundo Estadual de Apoio à Ampliação e Melhoria das Condições de Oferta da Educação Infantil e do Ensino Fundamental no Espírito Santo (Funpaes).

A cerimônia foi realizada no Centro de Convenções de Vitória. O pacote envolve, além da educação, cursos profissionalizantes, obras de mobilidade e contará com a participação de todas as secretarias do Estado.

"Dentro do plano Espírito Santo Consciente estamos ajustando tudo aquilo que conquistamos de 2019 para cá em termos de recursos para garantia de investimentos em infraestrutura. Nós já temos garantidos para os próximos anos R$ 9 bilhões. São recursos de superávit, de exercícios anteriores e de excesso de arrecadação", explicou Renato Casagrande. Ele acrescentou que as aplicações serão feitas em turismo, educação, saneamento, saúde e mobilidade.

"São investimentos já realizados a partir deste ano e outros que vão ocorrer em 2022 e também em 2023 para tornar o Estado mais competitivo e com maior qualidade de vida para a população", destacou.

As secretarias de Planejamento e de Governo definiram os alvos dos investimentos. Segundo Casagrande, o Espírito Santo não quer ser apenas um Estado bem gerenciado em contas públicas. "Não adianta ter uma boa gestão do recurso financeiro se isso não se voltar para a população. Temos a melhor gestão fiscal, mas temos que fazer as entregas. Vamos atrair investimentos privados", afirma.

O secretário de Governo, Gilson Daniel, informou que R$ 2,2 bilhões são destinados para o saneamento; R$ 1,2 bilhão para rodovias; R$ 1,1 bilhão para a educação; R$ 781,2 milhões para macrodrenagem; R$ 609 milhões para infraestrutura; R$ 545 milhões para a saúde; R$ 520 milhões para segurança pública; R$ 391 milhões para obras estruturantes; R$ 376 milhões para ciência e tecnologia; e R$ 217 milhões para agricultura.

Segundo ele, entre os principais investimentos previstos estão o novo aquaviário, a ampliação da Terceira Ponte e o trevo de Carapina. Também serão feitas obras de macrodrenagem importantes em Vila Velha, Viana, Cariacica, Colatina e São Mateus. O Estado também planeja ter uma casa de acolhimento às mulheres vítimas de violência, que será instalada em Santa Maria de Jetibá e depois expandida para outras localidades.

"Na área de qualificação profissional, está prevista a ampliação do programa Qualificar ES. Também estão em construção dois Centros de Educação Técnicas, em Afonso Cláudio e Iúna. O PIP organiza as ações do governo nas diversas áreas e repassa para a sociedade capixaba o volume de recursos que o Estado está investindo em cada área prioritária do governo. É uma organização para que a gente possa executar ao máximo, não só nos dois últimos anos da atual administração, mas também do futuro do Espírito Santo", ressaltou. 

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc,  afirmou que o plano vem aperfeiçoar o modelo de governança do Espírito Santo, proporcionando uma melhor aplicação dos recursos públicos em áreas que impactam diretamente na vida do cidadão.

"Organizamos o plano estratégico em 2019, com a definição das ações prioritárias, o que permitiu atravessar o ano de 2020 mantendo essas iniciativas. Mesmo sendo um período difícil, conseguimos aumentar os investimentos. Até maio deste ano, já contratamos investimentos superiores a todo o ano passado. O PIP organizou esses recursos para que a gente possa entregar mais melhorias aos capixabas este ano", destacou. 

Com informações de Diná Sanchotene.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.