ASSINE

Casagrande afirma que limite a reajuste cumpre papel de servidor na crise

À TV Gazeta, governador do Espírito Santo disse que veto do Bolsonaro ao aumento para categorias do funcionalismo é apoiado pelo Estado e por outros governadores. Ao presidente foi pedido que primeira parcela do socorro federal chegue ainda em maio

Publicado em 21/05/2020 às 13h48
Atualizado em 20/08/2020 às 08h14
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Crédito: Helio Filho/Secom-ES

Após a maioria dos governadores apoiar o veto do presidente Jair Bolsonaro à autorização para o reajuste salarial de algumas categorias do funcionalismo no projeto de socorro aos entes subnacionais, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), disse, em entrevista ao vivo à TV Gazeta, que a medida é importante em um período de grave crise econômica provocada pelo novo coronavírus.

Renato Casagrande

governador do Espírito Santo

"Neste momento, estabelecermos um limite para o reajuste salarial cumpre o papel dos servidores públicos em uma hora que estamos perdendo receita"

Em conferência na manhã desta quinta-feira (21), com Bolsonaro e os presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, os governadores apoiaram que o aumento não seja autorizado. Os gestores estaduais também pediram  que os bancos sejam obrigados a suspender o pagamento da dívida e que as parcelas dos empréstimos voltem a ser quitadas apenas no ano que vem. O projeto deve sancionado ainda nesta quinta.

Também ao ES 1, da TV Gazeta, Casagrande disse que os governadores pediram ao governo federal que a primeira parcela da ajuda do Tesouro Nacional chegue ainda em maio aos entes subnacionais. O governo do Estado e os municípios capixabas vão receber alívio fiscal  bilionário, que ultrapassa R$ 2 bilhões. Serão quatro parcelas de transferências diretas, além de recursos para saúde e de adiamento da dívida.

"Os detalhes do que vai ser vetado ou sancionado não ficaram muito explícitos, mas ficou claro que ele vai vetar o reajuste e que vai sancionar a suspensão das dívidas”, disse Casagrande em entrevista à GloboNews logo após a reunião.

O projeto de socorro aos Estados teve várias idas e vindas antes de ser aprovado. Na versão original, a ajuda federal teria como contrapartida o congelamento de salários de todos os servidores públicos da União, Estados e municípios. Porém, esse ponto do projeto foi desidratado no Congresso e várias categorias foram “blindadas” do congelamento.

Caso o veto presidencial seja assinado, o reajuste salarial ficará proibido para os servidores públicos, que terão os salários congelados até 2021. A expectativa é que a decisão seja publicada ainda nesta quinta-feira.

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) foi o porta-voz dos governadores sobre este assunto. “Vete o artigo dos aumentos salariais. Nos últimos anos tivemos um crescimento salarial de 3,9% nos Estados. Nos municípios chega a 6%. É quase impossível dar aumento agora e a maioria dos governadores entende que esse veto é fundamental”, disse Azambuja dirigindo-se a Bolsonaro.

Casagrande participa de conferência com Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e outros governadores

Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre
Renato Casagrande participa de reunião sobre o socorro aos Estados com o presidente Jair Bolsonaro, outros governadores e os presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre. Helio Filho/Secom-ES
Reunião de Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre com governadores sobre o projeto de socorro aos Estados
Reunião de Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre com governadores sobre o projeto de socorro aos Estados. TV Brasil/Reprodução
Reunião de Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre com governadores sobre o projeto de socorro aos Estados
Reunião de Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre com governadores sobre o projeto de socorro aos Estados. TV Brasil/Reprodução
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios. Reprodução/TVBrasil
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios
Renato Casagrande em reunião com Bolsonaro sobre o socorro aos Estados e municípios

Outro pedido dos governadores diz respeito à suspensão das dívidas até o fim do ano. “Não estamos pedindo perdão, não estamos pedindo redução dos juros, mas sim que o saldo devedor seja incluído no final do contrato, ou nas parcelas que vencem a partir de 2020. O texto diz que os bancos podem fazer o adiamento, mas não é uma obrigatoriedade”, disse Azambuja ainda durante a videoconferência.

Casagrande disse acreditar na sanção do adiamento das leis por conta do posicionamento do presidente do Senado, Davi Alcolumbre.  “O presidente do Senado foi muito enfático nessa parte. Pela fala do presidente Bolsonaro não deu pra compreender com clareza, mas pela fala do presidente do Senado entendo que essa parte será sancionada”, disse Casagrande lembrando que essa seria uma receita indireta, já que o Estado não precisaria fazer os pagamentos ainda este ano.

Durante a conferência, o presidente Bolsonaro disse que os pedidos dos governadores serão analisados pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. Só depois disso, o presidente vai decidir o que vai vetar ou sancionar.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.