ASSINE

Presidente de sindicato diz que mais de 20 rodoviários já morreram com Covid no ES

Segundo o presidente do Sindirodoviários, Marcos Alexandre, além dos óbitos, há motoristas internados e novos casos surgindo diariamente. Rodoviários realizaram protesto nesta terça

Publicado em 13/04/2021 às 12h17
Protesto dos cobradores do Transcol, saindo da Praça de Jucutuquara e seguindo até o Palácio Anchieta, em Vitória
Ônibus do Transcol em Vitória. Crédito: Fernando Madeira

Na manhã desta terça-feira (13), o Sindicato dos Rodoviários promoveu a paralisação da categoria e, consequentemente, da circulação dos ônibus na Grande Vitória, em protesto pela antecipação da vacina contra a Covid-19 para os motoristas e cobradores. De acordo com a entidade, os trabalhadores do transporte também estão na linha de frente e, desde o início da pandemia, mais de 20 profissionais já morreram em decorrência da doença.

Os dados foram passados pelo presidente do Sindirodoviários, Marcos Alexandre. Segundo ele, além dos óbitos, há motoristas internados e novos casos surgindo diariamente. “Óbitos já foram mais de 20, fora os companheiros que estão intubados e todo dia tem casos e mais casos”, disse.

Segundo ele, o objetivo do protesto de hoje foi pedir pela antecipação da vacinação dos trabalhadores do transporte de passageiros, assim como aconteceu com as forças policiais e, em breve, com professores. “O objetivo é acelerar a nossa vacinação e colocar junto com as forças policiais e professores. Numa viatura, o máximo que carrega são quatro policiais. No transporte público, junto com o motorista no ônibus lotado vão 100 passageiros. Como que é isso?”, perguntou.

De acordo com o Plano de Vacinação do governo federal, os Trabalhadores de Transporte Coletivo Rodoviário de Passageiros estão contemplados no grupo prioritário, porém, atrás dos seguintes grupos: Pessoas com comorbidades; Pessoas com Deficiência Permanente Grave; Pessoas em Situação de Rua; População Privada de Liberdade; Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade; Trabalhadores da Educação do Ensino Básico (creche, pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, profissionalizantes e EJA); Trabalhadores da Educação do Ensino Superior; Forças de Segurança e Salvamento; Forças Armadas - os grupos de forças de segurança e forças armadas tiveram a imunização antecipada e já estão sendo imunizados.

Sobre o número de óbitos informados pelo sindicato, a reportagem entrou em contato com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e o Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus), perguntando se há registro sobre o número de mortes de profissionais do transporte por estes órgãos. 

GVBUS REGISTROU 4 MORTES

O GVBus informou que quatro profissionais que trabalham no Sistema Transcol morreram de Covid-19. "Informamos que atualmente o Sistema Transcol conta com aproximadamente 3.600 motoristas. Infelizmente, entre 2020 e 2021, quatro morreram vítimas de Covid-19. O que representa 0,1% desses profissionais. Esse número é menor do que a comparação com a população geral do Estado (0,2%), o que demonstra que as medidas sanitárias adotadas pelo sistema estão ajudando a conter a contaminação no transporte coletivo".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.