ASSINE

Policiais usam spray de pimenta e gás para acabar com festa em Guarapari

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram PM dispersando grupo que promovia aglomeração na Praia do Morro, no domingo (3)

Vitória
Publicado em 04/01/2021 às 16h47
Atualizado em 04/01/2021 às 19h55
PM dispersa aglomeração e festa clandestina na Praia do Morro, em Guarapari
PM dispersa aglomeração e festa clandestina na Praia do Morro, em Guarapari. Crédito: Reprodução/vídeo

Com spray de pimenta e gás lacrimogêneo, policiais dispersaram a aglomeração de grupo que participava de uma festa ilegal, na noite de domingo (3), na areia da Praia do Morro, em Guarapari. O município está enquadrado como risco alto de contágio para o coronavírus, conforme classificação do mapa de risco da Covid-19. 

De acordo com a Polícia Militar, o uso de armas não letais foi necessário para garantir a dispersão dos participantes, já que eles não atenderam à solicitação feita pelos policiais para que as caixas de som fossem desligadas e a reunião fosse encerrada.

A ação policial foi registrada e compartilhada nas redes sociais. Um dos registros mostra ao menos 10 viaturas da PM transitando na orla e um grupo de militares no calçadão. No outro, os policiais ordenam que as pessoas que estão no local deixem a região e disparam uma bomba de efeito moral em direção à areia.

De acordo com a PM, os policiais foram acionados após denúncias de que havia aglomeração durante uma festa clandestina. Segundo a corporação, as pessoas estavam utilizando caixas de som. A prática está proibida por conta do decreto municipal que estipula medidas preventivas contra a contaminação do coronavírus.

“No primeiro momento, houve contato com os cidadãos pedindo para que desligassem a caixa, mas os participantes não acataram. Por isso, foi necessário utilizar armas não letais, como spray de pimenta e gás lacrimogêneo”, diz a nota da PM.

O documento reforça que a ação foi desenvolvida para orientar os cidadãos sobre as medidas de prevenção à pandemia da Covid-19, como afastamento social e uso de máscaras. “A aglomeração se concretizava como uma festa clandestina. Após a ação dos militares, o público foi dispersado”, finaliza.

A Prefeitura de Guarapari foi questionada sobre a operação e se haverá ampliação das medidas restritivas, como o bloqueio do acesso às praias. Por nota, a administração municipal informou somente que a ação foi "realizada exclusivamente pela PM".

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.