ASSINE

Pescadores desaparecidos há dois dias são localizados em Aracruz

Três tripulantes conseguiram chegar à praia de Barra do Riacho, em Aracruz. Um pescador continua desaparecido

Publicado em 15/05/2021 às 11h32
Atualizado em 15/05/2021 às 12h47
Pescadores se agarraram a destroços do barco naufragado
Pescadores se agarraram a destroços do barco naufragado. Crédito: Reprodução/ Redes sociais

Destroços do barco de pesca que havia desaparecido na última quinta-feira (13), perto da costa de Vila Velha, foram localizados na manhã deste sábado (15), nas proximidades da Reserva de Comboios, em  Barra do Riacho, Aracruz, região Norte do Espírito Santo.  Três homens foram resgatados com vida. Um dos tripulantes segue desaparecido.

No início das buscas, a informação era de que seis tripulantes ocupavam a embarcação, mas, segundo a Capitania dos Portos, foi descoberto neste sábado que apenas quatro pessoas estavam em navegação.

O barco com os pescadores saiu da Colônia de Pescadores de Vitória e estava fazendo atividade de pesca havia 10 dias quando pediu por socorro, na quinta-feira. No dia do desaparecimento, a Capitania dos Portos havia informado que a embarcação chegou a comunicar sobre problemas técnicos quando estava a aproximadamente 18 quilômetros da Praia de Itapoã, em Vila Velha.

Um pedido de socorro partu da embarcação naufragada na quinta-feira (13). A Marinha afirma que, tão logo teve notícia, acionou o serviço de busca e resgate e comunicou o incidente via rádio para toda a comunidade marítima. "Isso foi muito importante, pois alertou todos os pescadores da área, que conseguiram localizar neste sábado (15) uma embarcação emborcada na área de Barra do Riacho. Encaminhamos uma embarcação de buscas e, duas horas depois, localizamos três sobreviventes", detalhou o capitão de Mar e Guerra da Marinha, Washington Luiz de Paula Santos. 

Os três tripulantes conseguiram chegar até uma praia após se agarrarem a destroços do barco. Ao avistarem a areia, já na Reserva de Comboios, abandonaram os destroços e nadaram até terra firme. Lá eles foram socorridos pela Capitania dos Portos e encaminhados a um hospital. 

"É uma área deserta e de difícil acesso, e os pescadores estão um pouco debilitados. Durante todo esse tempo, nos preocupamos em manter contato com as famílias. As buscam continuam pelo quarto tripulante que está desaparecido", completou o capitão.

SEGURANÇA

A Capitania dos Portos abrirá um inquérito administrativo para apurar as causas do naufrágio. O capitão informou que o barco em que estavam os pescadores é cadastrado e legalizado.

Washington Santos chamou a atenção para a importância dos acessórios de sobrevivência em embarcações. "Orientamos todos sobre a importância de se usar o colete e ter os acessórios de sobrevivência à mão. Isso possibilita que a pessoa tenha mais condições de suportar as condições adversas", ressaltou. 

Quem tiver informações que ajudem a Capitania a localizar o quarto pescador pode entrar em contato pelo telefone 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio). 

BUSCAS

Equipes da Capitania dos Portos no Espírito Santo (CPES) fizeram buscas por dois dias com duas embarcações e uma aeronave do Núcleo de Operações e Transporte Aéreo (Notaer), do governo do Espírito Santo.

Um Navio Patrulha Macaé, do Comando da Marinha no Rio de Janeiro, também foi deslocado para procurar a embarcação pesqueira. Agora, o foco é encontrar o tripulante desaparecido, e as buscas serão concentradas na Barra do Riacho, em Aracruz.

A Gazeta integra o

Saiba mais
desaparecidos Capitania dos Portos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.