ASSINE

Parque da Cachoeira da Fumaça vai ganhar centro de pesquisa e laboratório no Sul do ES

O espaço receberá investimentos superior a R$ 3 milhões.  Projeto prevê ainda  auditório, biblioteca, lanchonete e uma área comercial

Tempo de leitura: 2min
Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 04/04/2022 às 11h39
Cachoeira da Fumaça em Alegre
A Cachoeira da Fumaça é um local turístico de grande importância para Alegre e a região . Crédito: Fernando Madeira

O Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça, que fica em Alegre, na Região Sul do ES, passará em breve por obras de reforma e ampliação. O espaço deve ganhar, segundo o Departamento de Edificações e de Rodovias do Estado do Espírito Santo (DER-ES), centro de pesquisa com alojamentos, laboratório, além de outras melhorias.

Com investimento de R$3.727.240,83, a nova estrutura para os visitantes deve ficar pronta em até um ano e meio. Atualmente, o parque possui um centro de visitantes e um administrativo que será reformado. O projeto prevê a construção de sanitários públicos acessíveis devidamente dimensionados para o público que frequenta o local, inclusive com chuveiro.

Segundo o DER, a reforma também vai contemplar um centro de pesquisa com alojamentos e laboratório, um espaço onde ficarão concentrados auditório, biblioteca, lanchonete e uma área comercial para produtos relacionados ao parque.

Além disso, o parque receberá nova urbanização, calçamento e paisagismo, além de ampliação do estacionamento. As áreas atuais de piquenique, que ficam na frente da cachoeira receberão novo mobiliário em madeira, também para maior conforto dos visitantes.

Apesar de não informar a data do início das obras de reforma e ampliação, o órgão informou que o resultado do processo já foi publicado no Diário Oficial em março. Sobre o fechamento do local para os trabalhos, disse que ainda será definido e posteriormente divulgado.

O PARQUE

O parque possui este nome pela presença da exuberante cachoeira de 144 metros de altura, considerada a maior do Espírito Santo com água perene, segundo o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), que é responsável pela administração do parque.

Por conta do volume e força, a queda d' água ao se chocar contra as rochas, forma uma nuvem de gotículas que mais parece uma nuvem de "fumaça". Em agosto do ano passado, o Parque Estadual Cachoeira da Fumaça completou 37 anos de conservação.

Cachoeira da Fumaça, em Alegre
Em período de chuvas intensas, a queda d'água da Cachoeira da Fumaça atinge um volume que impressiona os visitantes . Crédito: Amarildo Praça

A sede fica no município de Alegre, mas o território do parque também abrange o município de Ibitirama. Além da cachoeira, o parque conta com mirante e trilhas. A unidade de conservação recebe, anualmente, milhares de visitantes.

A visitação funciona todos os dias, das 8h às 16h. A entrada é gratuita, por ordem de chegada, e não é preciso agendamento.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.