ASSINE

Menina picada por escorpião já respira sem ajuda de aparelhos, diz mãe

Esther Castro de Jesus, de 4 anos, teve a sedação e os aparelhos respiratórios retirados na noite desta quarta-feira (26), segundo informou a mãe dela, Isamoa de Souza Castro. A criança está internada há uma semana no Hospital Infantil de Vitória

Publicado em 27/08/2020 às 11h30
Atualizado em 27/08/2020 às 11h30
Linhares
Esther está internada há uma semana em Vitória após ser picada por um escorpião em Linhares. Crédito: Arquivo pessoal

Internada na UTI pediátrica do Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória, desde a última quinta-feira (20), a menina Esther Castro de Jesus, de apenas 4 anos, teve uma evolução do quadro clínico e já respira sem a ajuda de aparelhos desde a noite desta quarta-feira (26). A informação foi repassada pela mãe da criança, Isamoa de Souza Castro, na manhã desta quinta-feira (27).

"Ontem à noite foi desligada a sedação e retiraram os tubos. Hoje ela está acordada, mas está desorientada. Então está sob observação (dos médicos) ainda esperando o efeito dos remédios passar para ir ao próximo passo", contou a mãe à reportagem.

Esther estava em estado grave desde que foi transferida de Linhares para a Capital. Na cidade ao Norte do Estado, ela acabou sofrendo uma picada de escorpião no dedo indicador da mão direita quando brincava no quintal da casa da avó, no bairro Guaxe, no dia 19 deste mês. Um dia depois ela foi trazida de ambulância para Vitória após ficar internada por um dia na UPA linharense.

EVOLUÇÃO LENTA

Ao lado da filha na UTI do Hospital Infantil, Isamoa disse que a melhora da filha a deixa mais aliviada, porém a menina segue na UTI e não há prazo definido ainda para que saia da Unidade de Terapia Intensiva.

"Os médicos não me dizem muita coisa, mas ela segue na UTI. Estão à espera do efeito da sedação passar para dizer qual o quadro dela. Creio que estão esperando para ver se ela irá reagir bem sem os tubos e remédios. Agora estou mais calma, mas só ficarei aliviada mesmo quando ela sair da UTI. Me disserem que ela já não tem risco nenhum", disse.

No quadro atual, Esther deixou de receber a adrenalina, que era utilizada para ajudar no funcionamento do coração, e também os sedativos que a faziam dormir. A mãe contou que a filha segue recebendo para dor por causa do incômodo provocado pela retirada dos tubos.

PICADA

A mãe da menina ainda procura entender como a filha foi picada pelo inseto. Isamoa acredita que a filha tenha pegado com as mãos algum objeto onde o escorpião estava escondido, ocorrendo então a picada pelo bicho. Na hora do almoço, quando ela entrou para comer, teve vômito. A avó correu com a criança para a UPA e, no caminho, Esther teve convulsões, segundo informou, Isnaildes, tia da menina.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.