ASSINE

Instalações elétricas: o que fazer para evitar incêndios dentro de casa

A reportagem ouviu especialistas que deram dicas e indicaram cuidados a serem seguidos com a instalação de equipamentos e manutenção da rede elétrica de imóveis

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 03/03/2021 às 13h28
Atualizado em 03/03/2021 às 13h28
Corpo de Bombeiros faz vistoria no prédio, na Praia do Canto, onde aconteceu um incêndio
Incêndio em apartamento na Praia do Canto, em Vitória, no ano passado. Bombeiros concluíram que fiação desgastada causou fogo. Crédito: Vitor Jubini

Não é incomum ver incêndios em imóveis que tenham como possível causa algum problema na parte elétrica. Nesta terça-feira (02), um apartamento em Vila Velha teve um cômodo incendiado e, segundo os Bombeiros, testemunhas relataram um curto-circuito em um armário, onde passaria uma fiação para o ventilador de teto. No ano passado, uma criança morreu em um apartamento incendiado em Vitória, onde os Bombeiros concluíram que a fiação desgastada deu início ao fogo. Por isso, para evitar que problemas como esses se repitam, a reportagem de A Gazeta ouviu especialistas que deram dicas e indicaram cuidados a serem seguidos com a instalação de equipamentos elétricos em residências.

Segundo o engenheiro elétrico e professor do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), Pablo Muniz, é imprescindível que o morador tenha o sistema elétrico do apartamento adequado e com a manutenção em dia. "A parte elétrica da casa, como todo equipamento, não funciona sozinho a vida inteira. Por isso, é bom sempre chamar um profissional para fazer uma inspeção", disse.

LOCALIZAÇÃO DOS FIOS

No incêndio desta terça (03) em Vila Velha, foi relatado um possível curto-circuito em um armário, onde passaria uma fiação para o ventilador de teto. Muniz alerta para uma boa localização dos fios. “Eles devem ficar, de preferência, embutidos na parede, para evitar contato com outros materiais. Em caso de curto-circuito, o contato com madeira pode gerar incêndios”, destacou.

A reportagem também conversou com o Corpo de Bombeiros. A tenente Andresa afirmou que o dimensionamento adequado da rede elétrica evita problemas maiores e, para isso, manutenções devem ser realizadas. “Por exemplo, uma casa construída há 20 anos pode não ter o mesmo suporte elétrico para os equipamentos de hoje. Por isso é preciso fazer a manutenção, checar os fios e todas as instalações para evitar sobrecargas e curto-circuitos que podem causar incêndios”, disse.

Além disso, a tenente fez alertas para condutas que podem causar problemas, como muitos equipamentos ligados em uma mesma tomada. “Deve-se evitar ligar muitos equipamentos em uma mesma tomada, através de adaptadores para evitar sobrecarga. Aqueles em formado de “T” ou os benjamins. Isso pode gerar sobrecarga e curto e gerar fogo”, alertou.

SINAIS DE ALERTA

O professor Pablo Muniz alertou para sinais que podem indicar que existe algum problema na rede elétrica. “O disjuntor desarmar é um deles, significa que o dimensionamento não está adequado. Outra coisa é interferência em outros equipamentos. Por exemplo, ligar um e outro ter o funcionamento comprometido”, relatou.

“Por isso a importância das manutenções e de isso sempre ser realizado por um profissional capacitado”, completou o professor.

A reportagem então elencou, com base nas informações passadas pelos especialistas, os principais cuidados a serem tomados na manutenção elétrica e na instalação de equipamentos elétricos para evitar sobrecargas, curto-circuito e incêndios:

  1. 01

    Manutenção elétrica do imóvel

    Deve ser feita de maneira periódica, de 15 a 20 anos, para checar toda a parte de cabos e instalações, e realizar trocas para evitar sobrecargas e possíveis danos;

  2. 02

    Se atentar ao tipo de cabeamento utilizado

    Se os fios são mesmo adequados para a instalação de determinado equipamento, para assim evitar sobrecarga, curto-circuito e possíveis incêndios;

  3. 03

    Localização dos cabos

    A forma mais segura para disposição dos cabos é em instalações embutidas, dentro das paredes. Não é recomendado que fios fiquem alocados de forma exposta e próximo a materiais inflamáveis, como madeira e plástico;

  4. 04

    Sinais de alerta

    Alguns acontecimentos podem chamar a atenção de que algo está errado nas instalações, como o desarme do disjuntor em ligar determinado aparelho, ou a interferência em outros, por exemplo;

  5. 05

    Cuidados importantes

    Evitar ligar muitos equipamentos em uma mesma tomada, através de adaptadores, para evitar sobrecarga; evitar mudanças na instalação para ligar mais equipamentos, a famosa “gambiarra”;

  6. 06

    Sempre acionar um profissional

    Instalações elétricas são complexas e perigosas, por isso, ao fazer a compra de qualquer equipamento, ou o desejo de realizar manutenções, é imprescindível a contratação de um profissional capacitado para estes serviços

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.