ASSINE

Falta dinheiro e sobra dor de cabeça: como dividir as contas de casa?

Muito se fala sobre finanças pessoais, mas é preciso ainda mais cuidado com as despesas divididas da família, requer diálogo. É o que explica a psicóloga Adriana Müller

Vitória
Publicado em 08/12/2020 às 17h09
Poupança, cofrinho, cofre, moeda
Poupança deve contar com a colaboração de toda família . Crédito: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Morar com parceiro ou em conjunto com a família pode ser a realização pessoal para muitas pessoas nos dias atuais. Entretanto, para que a rotina, funcione é preciso dividir as contas de casa da melhor maneira possível. Um grande dilema enfrentado é conseguir lidar com a parte financeira, seja por desorganização, falta de conhecimento e até por inexperiência. Outro ponto é a divisão das prioridades e desejos individuais e coletivos. Nesse contexto surge a pergunta: como organizar o dinheiro de casa sem dor de cabeça?

Na sociedade em que vivemos, o dinheiro está associado ao poder e divisão de tarefas. É o que explica a psicóloga e comentarista da CBN Vitória Adriana Müller. Segundo ela, as famílias precisam realizar um equilíbrio da divisão do dinheiro, entre o que apenas um indivíduo necessita e o que a família como conjunto precisa para o seu considerado "bem estar". "Mas para isso, é necessário muita compreensão, diálogo e organização", ressalta. 

Adriana diz que é claro perceber que orçamento ficou mais apertado neste ano, o que gera um período de contenção e de conscientização de quais são as reais necessidades da família. Por isso é importante, quando o assunto se trata das contas , definir três pontos importantes a serem colocados em prática, principalmente neste período de proximidade das festas de final de ano: 

  1. 01

    Ter um diálogo com toda a família

    Um ponto importante do orçamento é o diálogo familiar. Por meio dele, cada membro da família terá uma oportunidade para expor suas necessidades e desejos, tornando possível avaliar a prioridade de cada membro da família.

  2. 02

    Definir quais serão os gastos

    A família deve aprender a economizar e a cortar despesas desnecessárias. Criar uma tabela e/ou lista com cada gasto fixo ou programado, analisar as reais necessidades da casa e separar: o que é fundamental ser pago primeiro? Quais gastos podem ser flexibilizados ou até mesmo excluídos do orçamento?

  3. 03

    Não excluir as crianças quando o assunto for dinheiro

    Desde cedo as crianças devem ser envolvidas nas conversas sobre as questões financeiras da casa. Os pequenos podem aprender sobre o valor do dinheiro. É importante explicar de maneira lúdica sobre as metas da família com base na capacidade de poupar. 

A psicóloga e comentarista da CBN Vitória ressalta que uma família onde existe amor, carinho e união para atingir seus propósitos na vida terá sucesso no orçamento familiar. 

"Um orçamento familiar somente será possível de ter um grande sucesso por meio do carinho, amor e respeito entre todos os membros da casa", destaca Adriana Müller.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Economia Economia Economia Fique bem cbn cotidiano Comportamento Família

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.