ASSINE

Coronavírus: em menos de um mês, número de mortes triplica no ES

O Painel Covid-19 mostra que foram registradas 13 mortes em março, 212 em abril e 712 em maio. Já neste mês, que ainda não chegou ao fim, já foram 570 óbitos

Publicado em 26/06/2020 às 18h23
Atualizado em 26/06/2020 às 19h45
Dez anos depois de exumado e colocados em um nicho no cemitério, restos mortais de L.P.G. sumiram
ES já acumula 1.507 mortes pelo novo coronavírus. Crédito: Divulgação

Espírito Santo ultrapassou nesta sexta-feira (26) 1,5 mil mortes pelo novo coronavírus. O número, considerando a primeira morte em março deste ano, é assustador — já que, naquele mês, foram confirmados 13 óbitos. De acordo com o Painel Covid-19, atualizado diariamente pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), foram registradas 13 mortes em março, 212 em abril e 712 em maio. Já neste mês, que ainda não chegou ao fim, já foram notificados 570 óbitos.

Do dia 20 de março até o dia 20 de abril, foram acumuladas 119 mortes. De 20 de abril a 20 de maio, 555 mortes. No mesmo período, de maio a junho, foram notificados novos 923 óbitos — ou seja, nesse último intervalo o número de mortes já havia quase duplicado no Estado.

Dos 1.507 óbitos acumulados até esta sexta-feira (26), 1.131 aconteceram na Grande Vitória. De 20 de março a 20 de abril, foram 108 mortes. De 20 de abril a 20 de maio, 446 óbitos. De 20 de maio a 20 de junho, 570 mortes na Região Metropolitana. De 20 de junho até esta sexta-feira (26), foram mais 7 pessoas que perderam a vida.

O número de mortes pela doença também foi crescente no Norte do Estado. A primeira confirmação foi no dia 26 de março. Até 26 de abril, o Norte teve mais 3 óbitos, totalizando 4 em dois meses. Até 26 de maio, mais 22 mortes. Do último dia 26 até esta sexta-feira (26), a região teve mais 36 óbitos, totalizando 62.

No Sul, até hoje, foram 184 óbitos. O primeiro foi registrado no dia 26 de março. Já até o dia 26 de abril, mais 6 pessoas morreram após complicações da Covid-19. Até 26 de maio, outras 65 pessoas morreram no Sul do Estado. Daquela data até esta sexta-feira (26), mais 112 pessoas morreram.

PREVINA-SE

Até o momento, não há um tratamento específico para a doença, que é transmitida por gotículas de saliva que se espalham pelo ambiente. Por isso, é fundamental manter alguns cuidados com a higiene pessoal, que também valem para afastar o risco de contrair gripe e outras doenças respiratórias.

  • Lavar as mãos frequentemente por pelo menos 20 segundos com água e sabão;
  • Utilizar antisséptico de mãos à base de álcool para higienização;
  • Cobrir com a parte interna do cotovelo a boca e o nariz ao tossir ou espirrar;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Utilizar máscaras de tecido se precisar sair de casa;
  • Manter distância de outras pessoas caso tenha que ir para a rua;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.