ASSINE

Com epidemia de gripe no RJ, ES faz alerta a quem ainda não se vacinou

A vacinação dos grupos prioritários ainda não atingiu a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, apresentando, portanto, nesta quarta-feira (8), 78,4%. A meta preconizada é de 90%

Tempo de leitura: 2min
Vacinação contra a Influenza é importante para evitar casos suspeitos de Covid-19 e diminuir pressão no Sistema Único de Saúde (SUS)
Vacinação contra a Influenza é importante para evitar casos suspeitos de Covid-19 e diminuir pressão no Sistema Único de Saúde (SUS). Crédito: Divulgação | Sesa

Apesar da crescente procura pela vacina da Influenza no mês de novembro, no qual foi possível registrar 550 mil doses distribuídas, sendo uma média superior a 18 mil doses diárias, a cobertura vacinal dos grupos prioritários ainda não atingiu a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, apresentando, portanto, nesta quarta-feira (8), 78,4%.

A coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, destacou a importância de se imunizar, principalmente com o aumento de casos da doença. "A meta preconizada é de 90% nos grupos classificados como prioritários na campanha da Influenza. Diante do cenário de aumento de casos da doença, em especial no estado vizinho, o Rio de Janeiro, a imunização se faz ainda mais importante neste momento".

Segundo dados do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI), o Espírito Santo já administrou, desde o início da 23ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, 1.779.830 doses. O Estado ainda conta com mais 480 mil doses nos municípios e regionais de saúde.

Portanto, a partir dessa quantidade, a coordenadora Danielle reforçou que o território capixaba dispõe de doses suficientes para imunizar 100% dos grupos prioritários, que são aqueles mais vulneráveis às complicações geradas pela gripe.

Este vídeo pode te interessar

Danielle Grillo ainda reforçou que “a vacina influenza é trivalente, protege contra os vírus influenza A H1N1, influenza B e influenza A H3N2, que tem sido responsável pelo aumento de casos no Rio de Janeiro. Além disso, os cuidados que aprendemos devido à pandemia da Covid-19, como uso de máscara e higienização das mãos também são válidas contra a Influenza.”

DOAÇÕES AO RIO DE JANEIRO

Com o objetivo de contribuir na estratégia de vacinação do Rio de Janeiro, por conta do aumento de casos da Influenza nas últimas semanas, a Secretaria da Saúde (Sesa) fez a doação de doses da vacina ao governo fluminense.

Ao todo, foram doadas 200 mil doses na última semana e mais 100 mil doses entregues ainda esta semana. “Somos Sistema Único de Saúde e precisamos cooperar. Mesmo com a doação, seguimos tendo doses suficientes para completar 100% dos grupos prioritários no Espírito Santo”, explicou Danielle Grillo.

NÚMEROS DA INFLUENZA

A cobertura vacinal dos públicos-prioritários, até esta quarta-feira (8), é de:

  • 85,7% para crianças;
  • 86,6% para gestantes;
  • 82,1% para puérperas;
  • 67,8% para trabalhadores da saúde;
  • 108,1% para indígenas;
  • 75,7% para idosos.

Até o mês de novembro, foram notificados 25 casos e nenhum óbito por Influenza neste ano de 2021.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.