ASSINE

Candidato com Covid-19 no dia do Enem poderá remarcar prova

Etapa impressa do exame  acontecerá nos dias 17 e 24 de janeiro, e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro será aplicada a versão da prova digital

Publicado em 25/11/2020 às 16h02
Divulgado edital com as regras da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 impresso
Enem 2020 terá versão imprensa e digital. Crédito: Futura Press/Folhapress

Candidatos que tiverem o diagnóstico confirmado de Covid-19 no dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, em janeiro,  poderão remarcar a data da prova para fevereiro, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O exame acontecerá nos dias 17 e 24 de janeiro, com prova impressa, e nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro, na versão de prova digital. Em comunicado, o Inep detalhou que os candidatos que estiverem com coronavírus na data da prova deverão anexar o laudo médico informando a infecção na Página do Participante, no site https://enem.inep.gov.br/participante/.

O órgão fará a análise da justificativa de ausência na prova e a aprovação ou a reprovação da solicitação será divulgada na Página do Participante. Se a documentação for aceita, o candidato deverá refazer a prova nos dias 23 e 24 de fevereiro, mesma data do Enem digital.

Caso o diagnóstico ocorra exatamente no dia da aplicação do Enem, o estudante também deverá ligar para a Central de Atendimento do Inep no número 0800-616161 e comunicar a situação.

Além da Covid, o Inep esclarece que candidatos com outras doenças infectocontagiosas também deverão comunicar seus quadros de saúde. Entre elas, estão: coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola, e varicela.

Ao todo, 5.783.357 candidatos se inscreveram para realizar a prova. Para evitar a propagação do coronavírus,  o Inep prevê que a ocupação de cada sala deverá ser de 50% e também reservará sala especial para grupos de risco, com no máximo 12 pessoas. 

São considerados do grupo de risco "gestantes, lactantes, idosos e pessoas com condições médicas preexistentes, como cardiopatias, doenças pulmonares crônicas, diabetes, obesidade mórbida, hipertensão, doenças imunossupressoras e oncológicas", informa o Inep.

Para os idosos, que também são do grupo de risco, não há necessidade de procurar a central. Pela data de nascimento informada na inscrição, o órgão já agrupará os candidatos com mais de 60 anos em salas separadas.

Segundo o Inep, a estimativa é ampliar em 40% o número de salas de aplicação de provas e dos locais de exame. Em 2019, foram 10 mil locais de prova e 145 mil salas. No Enem 2020, serão 14 mil locais de prova e 205 mil salas.

O uso de máscara será obrigatório, desde o início até o fim da aplicação do teste. Caso se recuse, o candidato poderá ser eliminado. O Inep informa que irá disponibilizar álcool em gel nos pontos de aplicação de prova. 

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.