ASSINE

Busca por atendimento a crianças cresce até 80% nos PAs da Grande Vitória

Procura maior por atendimentos de pediatria nas unidades de urgência e emergência ocorre no período de alta de casos de síndromes gripais e doenças respiratórias

Tempo de leitura: 3min
Linhares
Publicado em 23/05/2022 às 17h31

Atualização

23 de Maio de 2022 às 20:15

Inicialmente, a reportagem informava que a maior alta na demanda por atendimentos pediátricos nos PAs foi de 40% na Grande Vitória, registrada em Vila Velha. No entanto, após a publicação, a Prefeitura da Serra enviou resposta explicando que, na cidade, o aumento na procura por atendimento infantil chegou a 80%. O título e o texto foram atualizados.

A frente fria provocou uma brusca queda da temperatura no Espírito Santo nos últimos dias. E tão comum quanto o clima mais ameno nessa época do ano, com o inverno se aproximando, é o aumento de casos de síndromes gripais e doenças respiratórias. O resultado é uma verdadeira corrida de pessoas procurando atendimento médico, o que acaba lotando unidades de saúde.

Na Grande Vitória, a demanda para atendimento pediátrico nos Pronto-Atendimentos (PAs) chegou a crescer até 80% em alguns locais, como ocorreu em unidades da Serra

A dificuldade de quem procura atendimento nos PAs é geral. Reportagem da TV Gazeta mostrou que as unidades têm vivido lotadas, demandando maior espera e paciência dos usuários. E os principais problemas são justamente os sintomas gripais, como pacientes com asma, gripe, bronquiolite, sinusite e pneumonia, quadros que demandam maior tempo dos médicos pediatras.

Isso porque o período de observação da criança recebendo medicação é considerado longo. Por isso, também ocorre uma preocupação em não conseguir o atendimento necessário.

A Secretaria de Saúde da Serra explicou este é um período sazonal de doenças respiratórias. "As alterações climáticas, umidade do ar, afetam diretamente os pacientes com doenças respiratórias crônicas, como asma, bronquite, doença pulmonar obstrutiva crônica, além da gripe e da Influenza".

Com isso, tem sido notado um aumento significativo na demanda, tanto na pediatria, nas duas últimas semanas, como no adulto. Entre os pacientes adultos, esse aumento foi de mais 50%. Já em crianças, esse aumento foi de mais de 80% na cidade, segundo a prefeitura.

Ainda de acordo com a Secretaria de Saúde da Serra, o atendimento realizado pelas equipes das três Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) de Carapina, Castelândia e Serra Sede não precisa de marcação. 

Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Castelândia
Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Castelândia, na Serra. Crédito:  Everton Nunes/Secom-PMS

Em Vitória a situação se complica uma vez que o atendimento de urgência e emergência para crianças na Capital está reduzido apenas ao PA de São Pedro. Anteriormente, a unidade na Praia do Suá também realizava o serviço, mas desde 2020 ele foi suspenso.

Segundo a secretária municipal de Saúde, Joanna D’Arc de Jaegher, está em análise a possibilidade de estender a assistência pediátrica para o outro PA. Enquanto isso, ela esclarece que foi expandido o quadro de médicos pediatras para os cuidados infantis em São Pedro.

Pronto Atendimento de São Pedro, em Vitória
Pronto Atendimento de São Pedro, em Vitória. Crédito: Carlos Alberto Silva

“Lá em São Pedro foi ampliado o serviço de pediatria. Claro, existe a possibilidade de criarmos outro ponto de atenção para essa demanda. Nós também ampliamos o atendimento aos fins de semanas em seis unidades, sendo que elas também ofertam consultas, entre outros serviços”, disse a secretária.

Com a lotação de unidades, falta de profissionais ou mesmo a distância a se percorrer para chegar nelas, há quem opte por buscar um PA de outra cidade. A Prefeitura de Cariacica, por exemplo, informou para a reportagem de A Gazeta que tem atendido pacientes de outras cidades.

“A Secretaria de Saúde possui conhecimento que prontos atendimentos privados e públicos de outros municípios estão sem pediatras e encaminhando pacientes ao PA do Trevo (de Alto Lage), o que também gera aumento da demanda”, informou em nota. O município tem também a oferta de PA’s nos bairros Bela Vista, Flexal e Nova Rosa da Penha.

Na cidade, o número de atendimentos também aumentou significativamente, de acordo com a prefeitura. 

Já em Vila Velha, a demanda pela pediatria nos PAs está 40% maior do que ocorre normalmente. Os atendimentos pediátricos na cidade canela-verde acontecem no PA da Glória e de Riviera da Barra.

Mesmo diante desse cenário, a prefeitura ressalta que não faltam médicos e não houve maior procura de pessoas de outras localidades da região.

A orientação dada à população é procurar inicialmente as unidades de saúde dos bairros, que dão a atenção inicial, para verificar como está o paciente e fazer o atendimento ou encaminhá-lo para um PA ou hospital.

Isso, segundo a Prefeitura de Vila Velha, poderia evitar uma possível lotação das unidades de urgência e emergência.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.