ASSINE

Bombeiros dão dicas de primeiros socorros em casos de crianças afogadas

Medidas são necessárias em caso de urgência, quando não há tempo para a chegada de uma equipe profissional

Publicado em 02/06/2020 às 11h00
Corpo de Bombeiros orienta os primeiros socorros em crianças vítimas de afogamento
Corpo de Bombeiros orienta os primeiros socorros em crianças vítimas de afogamento. Crédito: Reprodução / TV Gazeta

Depois de uma criança de 7 anos morrer afogada após cair na piscina da casa em que morava, na Serra, o Corpo de Bombeiros reforçou a importância dos primeiros socorros em situações como essa. Dependendo da gravidade, não é possível aguardar a chegada das equipes, sendo necessário que pais ou responsáveis façam as primeiras medidas emergenciais.

Por isso, o tenente-coronel Carlos Wagner, junto com o sargento Bissoli, demonstraram como se deve proceder durante uma operação de socorro a uma criança pequena, em entrevista ao Bom Dia Espírito Santo, da TV Gazeta. A demonstração foi feita com uma boneca, representando uma criança de 2 a 3 anos.

O QUE FAZER

  • Antes de iniciar, a criança deve ser colocada de barriga para cima e em superfície rígida;
  • Ao iniciar, o pescoço deve ser levemente tracionado para trás, com uma mão segurando a cabeça, para desobstruir as vias aéreas respiratórias;
  • Com a outra mão, devem ser feitas 30 massagens cardíacas. Com o cotovelo reto, a pessoa faz um movimento de aprofundamento da caixa torácica;
  • Terminando as 30 repetições da massagem cardíaca, deve-se fazer duas respirações boca-a-boca na criança. Em caso de bebês, a pessoa deve colocar a boca cobrindo a boca e o nariz e utilizar apenas o ar das bochechas. Em caso de crianças maiores, também deve-se colocar a boca cobrindo nariz e boca ao mesmo tempo, e utilizar uma maior quantidade de ar, medindo pelo tamanho da criança;
  • Após isso, deve-se retornar a mais 30 repetições da massagem cardíaca, durante 5 vezes.
Corpo de Bombeiros orienta os primeiros socorros em crianças vítimas de afogamento
Respiração boca a boca é uma das ações necessárias durante os primeiros socorros. Crédito: Reprodução / TV Gazeta

É importante manter a calma. Caso o pai ou responsável não se lembre dos procedimentos, o telefone 193 do Corpo de Bombeiros está disponível com um profissional qualificado para dar as informações e orientações necessárias.

CUIDADO COM LONAS EM PISCINAS

De acordo com Carlos Wagner, o relato da família indica que o menino morto na Serra ficou preso à lona que cobria a piscina. Por isso, ele pontua que os familiares devem orientar às crianças a não tentarem atravessar esse tipo de cobertura.

"A lona tem que estar bem fixa e as crianças devem ser orientadas a não passar por cima da piscina com a lona", reforçou.

Este vídeo pode te interessar

Com informações da TV Gazeta

A Gazeta integra o

Saiba mais
Bombeiros afogamento

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.