ASSINE

Bombeiro capixaba bate recorde nacional na categoria abdominal remador

Diogo Aquino de Castro faz parte do Corpo de Bombeiros e realizou a série do exercício do tipo remador; RankBrasil reconheceu o feito no final do ano passado

Tempo de leitura: 3min
Vitória
Publicado em 18/01/2022 às 18h35
Atualizado em 19/01/2022 às 13h55
Diogo Aquino de Castro faz parte do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo desde 2019
Diogo Aquino de Castro faz parte do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo desde 2019. Crédito: Acervo pessoal

1, 2, 3... 100... 500... 1.000... 1.578 – este foi o número de abdominais do tipo remador que o capixaba Diogo Aquino de Castro fez em.. adivinha? 1 hora e dois minutos. O feito é um recorde brasileiro, conforme reconhecimento oficial dado por uma empresa especializada no ramo, no final do ano passado.

Nascido em Vitória e morador de Santa Maria de Jetibá, o novo recordista é soldado do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo desde 2019 e conta que o "desafio pessoal" surgiu como uma brincadeira. "Sempre que fazia, pensava que podia ir além. Quando vi o recorde, achei que conseguia bater", conta.

25 abdominais/minuto

É o ritmo médio feito pelo capixaba para quebrar o recorde brasileiro

Para cumprir a missão, o capixaba filmou a série – para os meros mortais, quase infinita – em uma academia, no dia 19 de novembro. Na mesma data, ele recebeu a parabenização do RankBrasil. Até então, o recorde pertencia ao carioca Delson Peixoto, que tinha feito 1.281 repetições do exercício em 2008.

Afim de validar a quebra, a empresa explicou que julgadores avaliam a gravação do material enviado, confirmam a identidade do candidato e conferem se os movimentos foram completados corretamente, em uma sequência sem pausas. Tudo certo, Diogo recebeu um certificado e um troféu da entidade.

Este vídeo pode te interessar

À esquerda, o troféu recebido por Diogo; à direita, o certificado do RankBrasil
À esquerda, o troféu recebido por Diogo; à direita, o certificado do RankBrasil. Crédito: Acervo pessoal | Montagem A Gazeta

Em outras palavras, isso significa que todo o esforço poderia ter sido em vão. Essa possibilidade, porém, nem sequer foi considerada pelo soldado. "Anualmente, nós fazemos dois testes de aptidão física que incluem esse abdominal. Então, com o movimento, eu não estava esquentando a cabeça", comenta.

Apesar do condicionamento físico em dia, ele revela que fez um treinamento focado no recorde, de duas a três horas por dia. "O abdominal remador é bem cansativo, porque trabalha todo o abdômen e força até a perna. É um movimento complexo e, por isso, é considerado um dos mais difíceis", explica.

Para não se perder nas centenas de abdominais, Diogo fez o controle pelo tempo, em vez de contar cada repetição. "Eu vi o quanto fazia em cada minuto e planejei repetir por 40 minutos. Quando completei, ainda conseguia mais um pouco, fui até o limite. Quis completar uma hora para ficar bonito no vídeo", brinca.

Membro do Quarto Batalhão Militar, ele faz parte da Primeira Companhia Independente, que fica em Marechal Floriano, também na Região Serrana do Estado. Para o desafio, ele comprou um tênis novo, que ficou com parte da sola bastante gasta, devido ao atrito e impacto com o solo durante a série.

Diogo comprou um tênis para o desafio. Na foto da direita, fica claro o desgaste nas laterais externas da sola
Diogo comprou um tênis para o desafio. Na foto da direita, fica claro o desgaste nas laterais externas da sola. Crédito: Acervo pessoal | Montagem A Gazeta

Aos 31 anos, casado e com uma filha pequena, Diogo comemora o feito. "É gratificante, porque, para mim, não existe recorde fácil de ser quebrado. Foi uma conquista pessoal e trazer esse reconhecimento para a Corporação, que incentiva bastante a melhora física, também é muito bacana", diz.

E se engana quem acha que acabou por aí: há duas semanas, ele enviou um novo vídeo que ainda está em análise, no qual acredita ter feito cerca de 1.800 abdominais – um possível novo recorde. Questionado sobre como ficou após os exercícios, ele disse que sentiu apenas "um pouco de fadiga muscular".

Correção

19 de Janeiro de 2022 às 13:55

Anteriormente, o RankBrasil informou que os 1.578 abdominais tinham sido feitos em 1h12. No entanto, o recorde foi quebrado em 1h02, conforme retificação sinalizada pela empresa. O texto foi corrigido.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Bombeiros Santa Maria de Jetibá Atividade física

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.