ASSINE

Após doações, adolescente de Cachoeiro com câncer raro faz cirurgia

Davi Furlan, de 14 anos, foi diagnosticado com um osteosarcoma neste ano – câncer no osso da perna. Com custo de R$ 400 mil, cirurgia foi realizada nesta quinta (7), em São Paulo

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 07/10/2021 às 18h19
Davi Furlan, de 14 anos, passou por cirurgia nesta quinta-feira (07). Crédito: Arquivo da família
Davi Furlan, de 14 anos, passou por cirurgia nesta quinta-feira (07). Crédito: Arquivo da família

Uma rede de solidariedade se formou nas redes sociais em prol do adolescente Davi Furlan, de 14 anos, morador de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo. Após ser diagnosticado neste ano com um câncer raro, o estudante precisava fazer uma cirurgia quanto antes, mas os custos ficariam em R$ 400 mil. Sem dispor da quantia, a família dele pediu doações e conseguiu garantir o valor em poucos dias. O jovem passou pelo procedimento na tarde desta quinta-feira (7).

Davi Furlan foi diagnosticado com um osteosarcoma. O câncer no osso da perna foi descoberto após o adolescente se queixar de dores depois de uma partida de futebol. Ele foi levado a um ortopedista, que pediu uma ressonância. O exame apontou a doença.

“Um amigo dele o convidou para jogar bola e, à noite, Davi chegou mancando, falando que se jogou no chão, bateu com o joelho e estava doendo. As dores se intensificaram, o Davi sentia dores todas as noites”, lembrou Jovana Furlan, mãe do adolescente, em entrevista ao repórter Gustavo Ribeiro, da TV Gazeta Sul.

O oncologista José Pulido, que acompanha Davi, explicou que esse é um tipo de câncer raro, registrado em apenas em 1% da população, mais comum em adolescentes de 13 a 16 anos. A doença atinge ossos longos, como a tíbia, que é o caso do jovem.

“O planejamento era fazer quimioterapia pré-operatória e, depois, fazer a cirurgia. Mas infelizmente após dois ciclos de quimioterapia, o tumor cresceu e o procedimento, que seria eletivo, passou a ser uma corrida contra o tempo para evitar uma amputação”, contou o médico.

A campanha em busca de ajuda para o tratamento de Davi foi compartilhada e apoiada por milhares de pessoas. “Algumas pessoas doaram R$ 2, R$ 3, R$ 4. Acredito que doaram o que tinham, de coração, e eu agradeço a cada uma delas porque foi o agir de Deus que fez o milagre da multiplicação dos pães”, contou Jovana.

Nesta semana, a família conseguiu que o adolescente fosse operado em um hospital de São Paulo. Na cirurgia, os médicos retiraram o tumor e colocaram uma prótese. Pela manhã, antes do procedimento, o adolescente agradeceu toda a ajuda.

“Gostaria de agradecer a todo mundo que ajudou, que compartilhou, que doou, aos meus amigos, que sempre estiveram comigo, conversando e me distraindo. A todos. Vai dar tudo certo”, comemorou Davi Furlan.

Davi ainda vai precisar passar por sessões de quimioterapia e fisioterapia para completar o tratamento, segundo o médico que o acompanha.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Cachoeiro de Itapemirim câncer solidariedade

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.