ASSINE

Alegando salários atrasados, rodoviários de duas empresas protestam na Grande Vitória

Segundo os trabalhadores das empresas Metropolitana e Tabuazeiro ouvidos pela reportagem da TV Gazeta, atrasos no pagamento de salário e no ticket alimentação são os motivos da paralisação

Publicado em 14/04/2021 às 08h59
Rodoviários das empresas Metropolitana e Tabuazeiro protestam nesta quarta-feira (14)
Rodoviários das empresas Metropolitana e Tabuazeiro protestam nesta quarta-feira (14). Crédito: Kaique Dias

Os ônibus das empresas Metropolitana, que atende linhas do Sistema Transcol, e Tabuazeiro, que opera linhas do Sistema Municipal de Vitória, não estão circulando na manhã desta quarta-feira (14). Segundo trabalhadores ouvidos pela reportagem da TV Gazeta, atrasos no pagamento de salário e no ticket alimentação são os motivos da paralisação.

De acordo com o relato de motoristas e cobradores, os salários estão atrasados há mais de um ano. Eles contam que houve uma negociação para o pagamento dos atrasados em 10 parcelas, mas apenas quatro foram pagas. Os rodoviários disseram também que estão com os salários atrasados desde janeiro, quando receberam apenas parte dos rendimentos em adiantamento e o mesmo acontece com o ticket alimentação.

No Sistema Municipal de Vitória, 15 linhas que são operadas pela Viação Tabuazeiro estão sendo afetadas, segundo os motoristas. Já no Sistema Transcol, onde a Viação Metropolitana opera, são pelo menos quatro linhas afetadas: a 500, 525, 535 e 514. No entanto, algumas dessas são operadas em conjunto com outras empresas, segundo os trabalhadores.

A reportagem entrou em contato com o GVBus e Setpes, sindicatos que representam empresas de transporte de passageiros do Transcol e do Sistema Municipal de Vitória, para informações e um posicionamento sobre a paralisação; e também com a Ceturb-ES e Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória para informações sobre os possíveis atrasos a usuários do sistema. 

O QUE DIZ A CETURB

A Ceturb-ES informou, por nota, que "por conta do protesto da empresa Metropolitana os consórcios operadores realizaram os remanejamentos de veículos necessários para cumprir as tabelas de horários estabelecidas, sem prejuízo para os usuários".

O QUE DIZ A PREFEITURA DE VITÓRIA

A Secretaria de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória disse, também por nota, que foi informada sobre a paralisação de funcionários da viação já no início da manhã desta quarta-feira (14) e vai notificar a empresa de ônibus para que os coletivos voltem a circular no município o quanto antes. "O órgão destacou, ainda, que a administração municipal está aberta ao diálogo e que se dispõe a intermediar as negociações para que empresa e trabalhadores entrem em acordo, a fim de evitar prejuízos à população".

O QUE DIZEM AS EMPRESAS

O Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória (GVBus), entidade representante das empresas que operam no Sistema Transcol, informou que "a situação na empresa Metropolitana é pontual e que os consórcios responsáveis pelo Sistema Transcol estão com as linhas em operação normalmente".

Com informações de Kaique Dias, da TV Gazeta.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.