ASSINE

Buda gigante de Ibiraçu terá mesma altura do Cristo Redentor no RJ

De acordo com o coordenador do projeto, o monge Daiju Bitti, o monumento vai alcançar 38 metros; Com este tamanho, o Buda de Ibiraçu será o segundo maior do mundo

Publicado em 07/02/2020 às 19h54
Atualizado em 04/06/2020 às 11h41
Construção do Buda na entrada do Mosteiro Zen Budista, em Ibiraçu - Editoria: Cidades - Fernando Madeira - GZ. Crédito: Fernando Madeira
Construção do Buda na entrada do Mosteiro Zen Budista, em Ibiraçu - Editoria: Cidades - Fernando Madeira - GZ. Crédito: Fernando Madeira

Quem passa pelo quilômetro 217 da BR 101, próximo a Ibiraçu, já percebeu que a construção do Buda gigante está bastante adiantada. O que poucos sabem é que a obra atingirá a mesma altura do Cristo Redentor, símbolo da cidade do Rio de Janeiro. De acordo com o coordenador do projeto, o monge Daiju Bitti, do Mosteiro Zen Morro da Vargem, o monumento, que teria 30 metros de altura, na verdade alcançará 38 metros, sendo que desses, três metros são de pedestal.

Caso fosse considerada apenas a figura religiosa em si, a título de comparação, o Buda capixaba seria maior que o Cristo, já que a estátua budista terá 35 metros, ao passo que o símbolo cristão do cartão postal carioca chega a 30, sem contar com o pedestal.

Com este tamanho, o Buda de Ibiraçu será o segundo maior do mundo. “O monumento será o maior do Ocidente todo, sendo que o maior do mundo fica em Hong Kong e tem 42 metros de altura. O peso aproximado será de 350 toneladas e os materiais utilizados foram aço, ferro e concreto. Para o acabamento, serão usados ainda três revestimentos de massa para ficar lisinho. Para construir tudo isso, foi necessária uma equipe de quase 40 pessoas, contando com engenheiros e artistas, que agora trabalham na finalização do projeto”, relatou o monge.

CUSTO DA OBRA

Para construir o Buda gigante, o ábade do mosteiro estimou o custo total em R$ 4 milhões. Deste valor, faltam R$ 400 mil para a finalização da obra. “Estamos calculando que tudo deve ir a R$ 4 milhões, mas, precisamos arrecadar ainda 10% do total. Para isso estamos em campanha com empresários para terminar o projeto. Os 90% do montante vieram de doação de amigos monges, não tendo sido um valor arcado pelas instituições religiosas, mas sim vindo de particulares que se uniram”, contou.

“Ao longo do tempo algumas coisas contribuíram para o aumento do custo, como a própria questão das chuvas e de coisas (materiais) que vêm de fora, como de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Vale destacar a importância que essa construção terá para a região e é sobre isso que tratamos com as empresas. Ibiraçu é um município com poucos recursos. Com o Buda, continuaremos na busca de um diálogo inter-religioso, sendo que ainda será construída uma capela cristã ao lado dele. O turismo religioso será fortalecido”.

A construção do segundo maior Buda do mundo. Crédito: Facebook
A construção do segundo maior Buda do mundo. Crédito: Facebook

INAUGURAÇÃO

O projeto inicial previa que o monumento budista ficaria pronto no final de 2019. No entanto, com alguns incidentes no percurso, como explicou o monge Daiju Bitti, a nova data prevista de entrega da estrutura é maio. “A parte de acabamento, com toda a chuva, impossibilitou a cobertura de uma área daquele tamanho. Mas estamos na fase final e pensando em inaugurar no feriado de maio. A obra já tem um ano e cinco meses mais ou menos. Para estrear, dependeremos também da agenda do governador e da disponibilidade do monge que virá do Japão”, explicou.

ASPECTOS RELIGIOSOS

De acordo com a autoridade religiosa, o símbolo não deverá compor um lugar de devoção, mas será um monumento de arte. Apesar disso, fará parte dos Caminhos da Sabedoria, um trajeto espiritual com 108 quilômetros de extensão, que combina elementos cristãos  com a filosofia budista. “Tudo foi correndo naturalmente, não foi um projeto pré-pensado, foi uma coisa meio de milagre, foi aparecendo e fomos fazendo. Vejo que é uma missão que temos que cumprir e esperamos que resulte em benefícios para as pessoas da região”, ressaltou.

“Ao lado do Buda será construída uma capela cristã, para estabelecer o diálogo entre as religiões. Viemos trabalhando este conceito há anos e não se trata simplesmente de ser ecumênico, mas de gerar o diálogo mesmo, de encontrar coisas em comum, fortalecer a tolerância, isso é muito importante. Nos Caminhos da Sabedoria temos templos e igrejas, por exemplo. Foi o primeiro caminho espiritual do Brasil, inaugurado em 1987, antes mesmo dos Passos de Anchieta. O Buda será um dos pontos deste caminho que oferece a beleza da área rural, com cachoeiras, rios e capelas muito bonitas”.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.