ASSINE

Pai de Britney Spears rebate críticas e diz que tutela é para proteger cantora

Administração das finanças da cantora é feita em conjunto com um banco

Publicado em 10/03/2021 às 14h43
Atualizado em 10/03/2021 às 14h43
Britney Spears durante o Billboard Awards 2016, em Las Vegas (EUA)
Britney Spears durante o Billboard Awards 2016, em Las Vegas (EUA). Crédito: Reuters/Folhapress

Jamie Spears, o pai da cantora Britney Spears, 39, disse juntamente à sua equipe jurídica que os membros da Câmara Representantes dos Estados Unidos, Matt Gaetz e Jim Jordam, estão errados no que diz respeito à tutela da artista.

Segundo o site TMZ, Spears afirmou que a tutela funciona apenas para proteger Britney, e que qualquer outra coisa está totalmente errada. Sua advogada, Vivian Thoreen, diz que a tutela é um sistema de freios e contrapesos com contas anuais, análises e opiniões de especialistas.

Além disso, Thoreen disse ao site que Britney e a própria equipe jurídica dela têm participação, ao longo dos anos, nas decisões que envolvem a tutela. "A tutela do espólio de Britney era coadministrada por um fiduciário profissional privado e seu pai até o início de 2019", explica a advogada sobre alguns pontos do acordo judicial.

"Naquela época, Britney solicitou em documentos judiciais que seu pai fosse o único conservadora de sua propriedade. Sua tutela da pessoa não é administrada por seu pai, mas por um fiduciário profissional privado", conclui a advogada.

Gaetz e Jordan falaram que os motivos de Jamie Spears eram "questionáveis" em uma carta obtida pelo TMZ, nesta terça-feira (9). Na carta, enviada ao presidente do Judiciário da Câmara, Jerry Nadler, eles pediram uma audiência para discutir tutelas, e usaram o caso de Britney como exemplo.

Thoreen também discorda de Gaetz e Jordan, e diz: "Jamie Spears cumpriu diligente e profissionalmente suas funções como um dos conservadores de Britney, e seu amor por sua filha e dedicação em protegê-la são claramente evidentes para o tribunal". A advogada apontou ainda que em 13 anos a artista e sua equipe jurídica nunca entraram com uma petição para acabar com a tutela.

Gaetz disse, em entrevista, que espera que a artista testemunhe e compartilhe sua história. Ele afirmou que suas preocupações com a cantora surgiram depois que assistiu ao documentário "Framing Britney Spears" (2021, The New York Times).

Em fevereiro deste ano, o processo sobre a tutela avançou a favor da cantora. A juíza Brenda Penny determinou que Jamie não pode continuar sendo o único tutor das propriedades e investimentos dela. Segundo a NBC, a Justiça negou as objeções de Jamie sobre como a tutela seria delegada.

A tutela passou a ser administrada em parceria com uma instituição bancária, a Bessemer Trust, atendendo ao pedido da cantora de não deixar suas finanças nas mãos do pai. O banco e Jamie terão que criar um plano de investimento para que todos tenham consciência sobre a administração das propriedades dela. Porém, a juíza negou que Jamie fosse retirado totalmente da tutela.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Justiça dinheiro Famosos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.