ASSINE

Teatro do Centro Cultural Carmélia terá até projeções audiovisuais após reforma

Obras de reforma e restauro do espaço - que está sendo preparado para receber a Rádio Espírito Santo - devem começar nos próximos dias. Expectativa é inaugurar o teatro no final de 2022

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 21/10/2021 às 08h00
Teatro Carmélia vai ser usado para armazenamento de sacos de café.
De acordo com o Governdo do Estado, obras do Centro Cultural Carmélia devem ser entregues até o final de 2022. Crédito: Vitor Jubini

Após a assinatura do contrato de cessão na última semana, quando a União concedeu o espaço por cinco anos ao Governo do Estado (com prazo podendo ser renovado), as obras de reforma e reestruturação do Centro Cultural Carmélia estão prestes a começar.  

O local, que abriga a TV Educativa, está sendo preparado para receber a Rádio Espírito Santo. Teatro José Carlos de Oliveira, que integra o complexo, também será reformado, tornado-se apto a receber eventos culturais, como peças e exibições audiovisuais, além de ser tornar palco para programas produzidos pelos meios de comunicação sediados no Carmélia.

De acordo com a Secretária de Turismo do Estado, Lenise Loureiro, assim que o Estado recebeu "as chaves" da União, na última quinta-feira (14), uma equipe de limpeza foi ao local para começar os primeiros ajustes.

"Uma equipe de limpeza esteve presente para trabalhar no jardim, promovendo pequenas melhorias na parte externa. Temos um contrato assinado para o primeiro estágio da reforma (no valor de R$ 700 mil). A empresa foi acionada e os primeiros restauros devem começar nos próximos dias", apontou a secretária.

Na primeira reforma, estão previstas manutenção na calçada e no telhado (forro e fachada), para corrigir infiltrações, além de reparo de muros e do jardim. Ao todo, essa obra deve durar cerca de seis meses.

"Em paralelo, lançaremos um edital até o final de 2021 para contratar a empresa responsável pelo projeto arquitetônico e de edificação da segunda etapa, que abrange a reestruturação para receber a Rádio Espírito Santo (atualmente na Reta da Penha, em Vitória), além da reforma do Teatro José Carlos de Oliveira. Temos um layout interno, que foi discutido com membros da rádio e da TVE. Com o projeto pronto, pretendemos lançar outro edital e, até meados de março do ano que vem, contratar a empresa que cuidará das obras. Nossa expectativa é inaugurar o espaço até o final de 2022", informa Lenise. Inicialmente, de acordo com a Setur/ES, devem ser investidos cerca de R$ 5 milhões.

Ainda segundo a Secretária Estadual de Turismo, tanto a reforma do Centro Cultural Carmélia, quanto a obra do Saldanha da Gama, são consideradas as "menina dos olhos" do Governo Renato Casagrande (PSB), que pretende fortalecer o projeto "Cidade Administrativa". "Com isso, pretendemos ocupar prédios e espaços no Centro de Vitória, levando sedes administrativas para a região e propondo uma revitalização da área, tanto cultural como comercial".

MUDANÇAS

Em conversa com o "Divirta-se"Igor Pontini, diretor-presidente da RTV/ES, deu mais detalhes sobre como deve ficar o Teatro José Carlos de Oliveira após o processo de reforma e reestruturação.

"Pensamos o Centro Cultural Carmélia como um espaço transmídia, com uma parte ocupada pela Rádio Espírito Santo e pela TV Educativa e a outra contando com a presença de um teatro remodelado, sempre apostando na possibilidade de absorver e captar conteúdos produzidos pela TV e pela emissora de rádio", adianta Pontini, afirmando que usou parte de um projeto de layout arquitetônico desenvolvido pela Prefeitura de Vitória, pensado na integração do Centro Cultural e com TV Educativa. "Fizemos adaptações com arquitetos do Governo do Estado propondo mudanças que também incluíssem a Rádio Espírito Santo".

Centro Cultural Carmélia Maria de Souza vai abrigar os armazéns da Conab no lugar dos galpões do IBC
O centro cultural carmélia deve voltar a receber eventos culturais em 2022. Crédito: Vitor Jubini

Pontini adiantou que o Teatro - inagurado em 1986 - manterá seus 356 lugares. "Vamos trabalhar a questão da acessibilidade, com espaços para cadeirantes entre os assentos. O palco deve manter seus 1,278 metros. Devemos investir em equipamentos de iluminação, sonorização, projeção e captação de imagens. Pensamos uma política de ocupação que deve ser feita em parceria com a Secult/ES, para desenvolver apresentações artísticas, projeções audiovisuais, como pequenas mostras de cinema, ensaios de peças, shows musicais e lançamentos de bandas. Além disso, devolveremos projetos educativos envolvendo as escolas com a Secretaria Estadual de Educação".

Os camarins e as coxias também passarão por reformas. "O teatro deve ganhar uma sala para acomodação de equipamentos musicais e todo o tratamento acústico deve ser refeito, assim, vamos resolver uma das maiores reclamações dos artistas que se apresentavam no local", explica o gestor, também informando que, na área externa, estão previstos uma cafeteria, banheiros e será feita a separação dos acessos de entrada do teatro e da RTV.

"Temos uma área externa grande, pensada para exposições e eventos culturais. Por que não produzir uma festa gastronômica, com a presença de 'food trucks'? Há toda uma gama de possibilidades culturais a serem exploradas", complementa.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.