ASSINE

Mostra on-line de filmes africanos estreia nesta segunda-feira (10) no ES

Programação conta com cinco obras cinematográficas e um bate-papo sobre a produção audiovisual contemporânea africana

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 10/05/2021 às 13h21
Cultura - Mostra Africana de cinema
A ficção rodada na Zâmbia, com o título “Eu Não Sou Uma Bruxa” (2017). Crédito: Reprodução | Eu não sou uma bruxa

Com filmes africanos premiados e inéditos, a Mostra África Contemporânea, idealizada por Carla Osório, chega nesta segunda-feira (10) com uma programação exclusiva. Já pode preparar a pipoca: o festival, que vai até sábado (15), deixará cada filme no ar por 24h, de forma on-line e gratuita, na InnSaei.TV, plataforma de filmes, séries, transmissões ao vivo, mostras e festivais. A realização é da Livres Filmes e da Ladart Filmes, com recursos da Lei Aldir Blanc, por meio do Fundo Estadual da Secretaria da Cultura (Secult) e esta é a primeira edição. 

Serão, ao todo, cinco obras premiadas e uma ainda inédita no Brasil. A ficção rodada na Zâmbia, com o título “Eu Não Sou Uma Bruxa” (2017), foi dirigida por Rungano Nyoni e abrirá a mostra na segunda-feira (10). O inédito documentário “O Tempo Está do Nosso Lado”, do Senegal, dirigido por Katy Lena Ndiaye, será exibido na terça-feira (11).“Ar Condicionado” (2020), de Angola, e com direção de Fradique, será exibido na quarta-feira (12). Já “Rafiki” (2018), do Quênia, e com direção da Wanuri Kahiu, está na programação na quinta-feira (13). “Comboio de Sal e Açúcar” (2016), filmado em Moçambique, longa-metragem com direção de Licínio Azevedo, estará disponível na sexta-feira (14).

Cinema africano
O longa Comboio de Sal e Açúcar. Crédito: Reprodução | Comboio de Sal e Açúcar

O evento pretende evidenciar, por meio do audiovisual, a realidade vivida no dia a dia da população do continente africano e tem como objetivo central levar a cinematografia africana contemporânea aos alunos e professores do Ensino Médio das escolas públicas do Espírito Santo, em uma perspectiva de fortalecer a implementação da Lei 10.639, que trata da inclusão da História e Cultura Afro-Brasileira e Africana no ensino brasileiro.

Carla Osório

Produtora cultural e distribuidora de audiovisual

"Trata-se de uma programação de filmes voltada especialmente para estudantes da educação pública, por isso a curadoria buscou valorizar o público jovem com os filmes escolhidos. Além da oferta desse conteúdo cultural sob esse formato adequado ao atual momento de isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19, estamos promovendo uma aproximação dos estudantes de escolas públicas com o cinema"

A Mostra conta com o apoio da Comissão Permanente de Estudos Afro-brasileiros (Ceafro), ligada à Secretaria da Educação (Sedu).

Para os encontros virtuais, o primeiro será um bate-papo no sábado (15), às 17 horas, com o ator angolano Matamba Joaquim. Atualmente, ele é membro fundador do Teatro Griot, em Portugal. Na filmografia de Matamba Joaquim, estão vários longas-metragens e séries para TV, com destaque para dois filmes conhecidos do público brasileiro: "Comboio de Sal e Açúcar", filme exibido na Mostra de Cinema África Contemporânea, e "Um Animal- Amarelo", uma co-produção Brasil, Moçambique e Portugal, dirigido por Felipe Bragança.

SERVIÇO

Mostra África Contemporânea

  • Quando: de 10 a 15 de maio de 2021;
  • Como e onde: exibições gratuitas on-line pela plataforma InnSaei.TV
  • Redes Sociais: (Facebook e Instagram): @africacontemporanea

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.