IBGE: 38,6% das empresas foram afetadas pela pandemia na 1ª quinzena de agosto

As empresas do setor de construção foram as que mais sentiram impactos negativos da Covid-19

Publicado em 15/09/2020 às 11h42
Coronavírus tem provocado impacto na economia
Coronavírus tem provocado impacto na economia. Crédito: Freepik

Brasil tinha 3,2 milhões de empresas em funcionamento na primeira quinzena de agosto, sendo que 38,6% delas informaram que a pandemia do novo coronavírus afetou negativamente suas atividades. Os dados são da Pesquisa Pulso Empresa: Impacto da Covid-19 nas Empresas, que integra as Estatísticas Experimentais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foi divulgada nesta terça-feira (15).

Para 33,9% das empresas em funcionamento, o efeito da pandemia sobre os negócios foi pequeno ou inexistente, enquanto outros 27,5% relataram ter observado um impacto positivo.

As empresas do setor de construção foram as que mais sentiram impactos negativos da covid-19: 47,9% das companhias do setor se queixaram dos reflexos da pandemia. No comércio, 46,3% das companhias reportaram efeitos negativos nos negócios. Na indústria, 32,8% das empresas foram impactadas negativamente, enquanto nos serviços houve efeitos negativos em 31,7% das companhias.

Os efeitos negativos foram percebidos por 38,8% das empresas de pequeno porte, 28,4% das intermediárias e 25,5% das grandes empresas. Entre as regiões, a pandemia impactou negativamente 41,9% das empresas no Norte; 43,6% no Sudeste, 39,9% no Sul, 39,8% no Centro Oeste e 20,4% no Nordeste.

Economia Ibge Coronavírus empresas Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.