ASSINE

Governo envia projeto que altera LDO para destravar programa que reduz jornada

O projeto enviado precisará ser votado às pressas pelo plenário do Congresso Nacional, uma vez que o governo está pressionado pelo setor empresarial a acelerar a medida

Publicado em 06/04/2021 às 21h45
Atualizado em 06/04/2021 às 21h46
O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia para sanção dos projetos de lei que ampliam a aquisição de vacinas pelo Governo Federal.
O presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

governo federal confirmou na noite desta terça-feira (6), o envio do projeto de lei para destravar a recriação do programa de redução de jornada e salário ou suspensão de contrato de trabalhadores, como noticiado mais cedo.

A proposta altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2021, que foi aprovada com um artigo que exige uma compensação para gastos com novos programas, via aumento de receita ou corte de despesas.

A compensação é exigida mesmo que o gasto recém-criado seja apenas temporário, como é o caso do benefício emergencial (BEm), pago aos trabalhadores para compensar parte da perda salarial nos acordos. Como revelou o Estadão/Broadcast, esse dispositivo acabou travando o programa.

O projeto enviado hoje precisará ser votado às pressas pelo plenário do Congresso Nacional, uma vez que o governo está pressionado pelo setor empresarial a acelerar a medida. As empresas, principalmente do varejo, são as que mais têm pedido celeridade na reedição do programa.

Nas negociações do BEm, técnicos da área orçamentária do Ministério da Economia apontaram que o artigo da LDO impõe a necessidade de uma compensação, mesmo que o programa seja financiado por crédito extraordinário. Esse tipo de crédito é para casos de urgência e imprevisibilidade e fica fora do teto de gastos (regra que limita o crescimento das despesas à variação da inflação).

Segundo comunicado da Subchefia de Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência, "a proposta pretende adequar os requisitos para aumento de despesas que não sejam obrigatórias e de caráter continuado". Com a modificação, segundo o órgão, "não será necessária a apresentação de medida compensatória para esse tipo de despesa". O gasto, porém, segue sujeito às demais regras fiscais.

Segundo o governo, o projeto também vai destravar a nova rodada do Pronampe.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Governo Federal Governo Federal Redução de jornada

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.