ASSINE
Formada em Ciências Contábeis pela UFES, com MBA em Controladoria e Finanças e certificações em metodologias ágeis e métricas de produtos. Atua há mais de 17 anos no setor bancário e atualmente lidera a área de Criatividade e Inovação do Banestes.

Pix: 5 dicas para não cair em golpes com o pagamento instantâneo

Apesar de todas as facilidades proporcionadas pelo serviço, é importante estar sempre atento, pois esse meio de pagamento também tem sido alvo constante de bandidos

Vitória
Publicado em 26/07/2022 às 13h31

Você saiu de casa sem a carteira e só se deu conta disso na hora de pagar o almoço? Foi passear com as crianças e deixou de comprar um sorvete porque estava sem o cartão do banco e não tinha dinheiro vivo? Com o Pix, na maioria dos casos, ninguém passa mais esses apertos. A maioria dos estabelecimentos comerciais já aceita essa forma de pagamento e basta estar com o celular que, usando o aplicativo do seu banco, você consegue realizar pagamentos e fazer compras.

O Pix é um meio de pagamento, ou seja, uma forma de transferir e receber dinheiro, criado pelo Banco Central, que está vigente desde novembro de 2020 e já faz parte do dia a dia dos brasileiros. De acordo com as estatísticas do BC, em junho de 2022, foram realizadas 1,9 bilhão de transações, num total de R$ 889 bilhões movimentados por meio do Pix.

Os principais diferenciais do Pix em relação a outros meios de pagamento, como TED, DOC, cheque, boleto e cartão, é que ele é instantâneo, digital, rápido e barato. As transferências são realizadas a qualquer hora do dia, 7 dias por semana e caem na mesma hora - o prazo é de 10 segundos para que a transação seja realizada, além de ser gratuito para pessoas físicas.

O Pix também caiu no gosto dos estabelecimentos comerciais, já que se trata de pagamento à vista e, dependendo do banco, também pode ser isento de tarifa para clientes pessoa jurídica.

Pix: serviço tem sido alvo constante de criminosos
Pix: serviço tem sido alvo constante de criminosos. Crédito: Freepik

CUIDADOS COM OS GOLPES

Apesar de todas as facilidades proporcionadas pelo Pix, é importante estar sempre atento, pois esse meio de pagamento também tem sido alvo constante dos golpistas.

Os principais golpes utilizam a chamada “engenharia social”, que consiste na manipulação psicológica para que a vítima forneça informações confidenciais, realize ações orientadas pelos golpistas e tome decisões no impulso.

Desde o começo da pandemia, os criminosos têm aproveitado o crescimento das transações digitais para aplicar golpes, que cresceram 165% no primeiro semestre de 2021, em comparação ao segundo semestre de 2020, de acordo com a Federação Nacional do Bancos, a Febraban. Por isso, mantenha a cautela e desconfie!

CONFIRA ALGUMAS FORMAS DE SE PROTEGER

  1. 01

    Desconfie

    Sempre desconfie de promessas de dinheiro fácil. Caso tenha acesso a ofertas irresistíveis ou a mensagens de amigos vendendo objetos por preços muito baixos, fique atento. Os golpistas têm utilizado as redes sociais para aplicar golpes anunciando produtos com pagamentos via Pix, mas, após enviar o dinheiro, você não recebe o produto.

  2. 02

    Ninguém pede transferência antecipada

    Ao negociar um empréstimo, nenhum banco solicita a transferência de valores antecipadamente. Fique atento! Os golpistas entram em contato oferecendo grandes oportunidades de empréstimo, com excelentes condições, mediante o pagamento prévio de um valor referente a impostos e taxas. Só depois de fazer o Pix é que você descobre que o dinheiro do empréstimo não entrou na conta, ficando no prejuízo.

  3. 03

    Cuidado das ligações

    Os bancos nunca entram em contato para solicitar informações confidenciais, como dados da sua conta e suas senhas bancárias. Desconfie de contatos que peçam informações demais e nunca forneça dados pessoais, muito menos códigos recebidos em seu celular. Se desconfiar de algo, desligue e entre em contato com o seu banco pelos números indicados no site oficial, aplicativo ou no verso do seu cartão. Ligue, preferencialmente, do seu celular, pois os golpistas costumam usar a retenção de linhas fixas.

  4. 04

    Parentes pedindo dinheiro

    Caso receba mensagens de parentes ou conhecidos pedindo dinheiro, nunca transfira sem antes ligar, de preferência por vídeo, para confirmar a identidade de quem está do outro lado da linha.

  5. 05

    Aplicativos oficiais

    Utilize apenas aplicativos oficiais do seu banco e nunca instale nenhum outro tipo de aplicativo em seu celular, nem realize nenhuma ação direcionada por contato telefônico. Caso você precise baixar algum programa no seu celular ou computador, se certifique que está fazendo o download a partir de um site confiável e sempre acesse a página do seu banco digitando em seu navegador, nunca por links enviados por email ou SMS.

Na medida em que a tecnologia avança e facilita o seu dia a dia, novos golpes também surgem, e a melhor maneira para se prevenir é estar sempre atento e informado. Cuide sempre dos seus dados e, ao detectar uma ação suspeita, mantenha a calma e avalie, pois pode ser golpe.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.