ASSINE

Hospital Santa Rita cria Complexo Cardioneurovascular

O paciente, desde a chegada ao pronto-socorro, contará com o suporte do atendimento de alta complexidade sob os cuidados contínuos de equipe interdisciplinar

Publicado em 28/05/2021 às 19h40
Desde o Pronto-Socorro do Hospital Santa Rita, o paciente contará com suporte do atendimento de alta complexidade.
Desde o Pronto-Socorro do Hospital Santa Rita, o paciente contará com suporte do atendimento de alta complexidade. Crédito: Hospital Santa Rita/Divulgação

Ao perceber algum sinal que possa indicar suspeita de infarto do miocárdio, edema pulmonar, Acidente Vascular Cerebral (AVC), trombose venosa profunda ou algum tipo de desorientação ou confusão mental, corra para o pronto-socorro. Quanto mais precoce o problema for diagnosticado e tratado de forma correta, maiores as chances de sobreviver e menores as possibilidades de sequelas permanentes.

Um pronto-socorro bem estruturado, com equipamentos avançados de suporte à vida e profissionais qualificados e especializados, proporciona segurança para o mais rápido e assertivo socorro médico.

O cardiologista Renato Serpa, um dos idealizadores e coordenadores do Complexo Cardioneurovascular do Hospital Santa Rita, informa que é fundamental que uma pessoa com sintomas de dor no peito, falta de ar, coração acelerado, alteração da força em um membro ou da fala, perda súbita da consciência, dor ou inchaço nas pernas, seja levada imediatamente ao pronto-socorro, onde o médico terá condições de identificar rapidamente o problema e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

“A maior causa de morte no mundo é a somatória do infarto e AVC. Além dessas, outras situações graves como embolia pulmonar e aneurisma de aorta também devem ter seu reconhecimento imediato, pois podem levar a óbito. E já está mais do que provado que o atendimento e tratamento precoces reduzem as taxas de mortalidade e sequelas permanentes. Por isso o ideal é ser atendido em um pronto-socorro especializado e qualificado para diagnosticar e tratar corretamente”, explica Serpa.

EXPERTISE E EQUIPAMENTOS DE PONTA

Estruturado com equipamentos de ponta, profissionais qualificados em atendimento de urgência e emergência, e suporte de um Complexo Cardioneurovascular, o Pronto-Socorro (PS) da Afecc-Hospital Santa Rita desponta como a unidade de atendimento emergencial mais completa do Espírito Santo.

Além de profissionais capacitados para o atendimento emergencial, o que inclui cardiologistas, neurologistas e cirurgiões vasculares, o PS do Santa Rita contará, ainda neste primeiro semestre do ano, com o Complexo Cardioneurovascular, local que reunirá uma moderna estrutura para o atendimento de alta complexidade dos problemas cardiológicos, neurológicos e vasculares.

Sala de hemodinâmica, que integra o Complexo Cardioneurovascular do Hospital Santa Rita.
Sala de hemodinâmica, que integra o Complexo Cardioneurovascular do Hospital Santa Rita. Crédito: Hospital Santa Rita/Divulgação

“Esse Complexo, já em fase final de estruturação, reunirá as três especialidades que tratam a aterosclerose, que é a causa básica do infarto, do AVC e do aneurisma de aorta. Um pronto-socorro com essa retaguarda passa a contar com médicos especialistas em atendimento de alta complexidade, proporcionando um serviço de diagnóstico e de tratamento eficiente”, destaca Renato Serpa.

ACOMPANHAMENTO E TRATAMENTO INTERDISCIPLINAR

No Complexo Cardioneurovascular, o paciente será avaliado, acompanhado e tratado de forma interdisciplinar e plena em todos os momentos de sua doença no Pronto-Socorro, na UTI Cardioneurovascular, na Hemodinâmica, no Centro Cirúrgico, nos apartamentos e nos consultórios. São especialidades afins que atuarão em conjunto para aumentar a excelência e humanização do tratamento.

“Além das intervenções já realizadas, como angioplastias coronárias com stents no infarto agudo do miocárdio e abordagem do AVC, obstruções em vasos periféricos e aneurismas, o Complexo atenderá aos casos de cardiopatias estruturais e congênitas, para oferecer o melhor atendimento às anormalidades ou problemas nas válvulas ou no músculo cardíaco, bem como dos bebês que nascem com doenças do coração e que precisam de intervenções nas primeiras horas de vida para sobreviverem”, esclarece o médico. Trata-se de um atendimento especializado e diferenciado que unirá experiência e tecnologia no tratamento das cardiopatias estruturais de forma cada vez menos invasiva e proporcionando recuperação mais precoce.

Saúde Saúde

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.