ASSINE

Glaucoma e catarata numa cirurgia só? Entenda como é feita

O avanço das técnicas na área oftalmológica permite a correção de dois, três ou mais problemas de vista de uma vez

  • Hospital de Olhos de Vitória

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 21/06/2021 às 11h16
Cirurgia de retina
Procedimentos podem envolver cirurgias para controle de pressão intraocular, que pode estar associada ao glaucoma, combinada com cirurgia de retina. Crédito: Divulgação/ Hospital de Olhos de Vitória

Na cirurgia plástica, já estamos acostumados a ver a realização de procedimentos associados. Numa mesma operação, a pessoa faz a redução da mama e uma lipoaspiração no abdômen, por exemplo. Na área oftalmológica, também é possível fazer várias cirurgias combinadas.

O cirurgião oftalmológico Renato Vieira Gomes, diretor clínico e coordenador do setor de retina do Hospital de Olhos de Vitória (HOV), explica que o olho é muito complexo e tem vários mecanismos funcionando ao mesmo tempo com o objetivo de focar a imagem no fundo do olho e enviar para o cérebro. O que ocorre é que, em alguns casos, mais de um desses mecanismos podem estar alterados ao mesmo tempo.

Essa possibilidade é um avanço na área e que trouxe ganhos importantes para os pacientes. "Um exemplo seria um paciente com alterações oculares relacionadas ao diabetes. Essa condição pode afetar diferentes partes do olho, como a retina e o cristalino. Podemos ter um paciente com opacidade do cristalino, que é a catarata, e um descolamento da retina ao mesmo tempo. Nesses casos, para operar a retina teremos que resolver a catarata antes. Outras situações podem envolver cirurgias para controle de pressão intraocular, que pode estar associada ao glaucoma, combinada com cirurgia de retina. São várias as possibilidades de cirurgias combinadas, porém sempre levando em conta o melhor para cada paciente", observa o médico.

Podem ser feitas em conjunto, por exemplo, as correções de glaucoma e catarata. Ou, ainda, uma cirurgia para tratar uma doença do buraco macular pode ser realizada juntamente com a da catarata também.

Podem ser feitos três ou até mais procedimentos de uma vez, de acordo com Renato Gomes. "Tudo depende da complexidade do caso. Podemos fazer quase todos os procedimentos em sequência. Por exemplo, a pessoa pode ter um trauma ocular, com deslocamento do cristalino, descolamento de retina e ruptura da esclera, que é a parte branca do olho. Então, vamos primeiro suturar a esclera, depois fazer a remoção do cristalino e depois corrigir o descolamento da retina."

Até correção de grau pode ser feita numa combinação com outras cirurgias. 

Renato Vieira Gomes

cirurgião oftalmológico

"Podemos fazer uma cirurgia de glaucoma, combinada com de catarata, combinada com uma de retina e ainda fazer uma correção no grau da pessoa no tipo de lente que é implantada"
O oftalmologista Renato Vieira Gomes
O cirurgião oftalmológico Renato Vieira Gomes explica que o olho é muito complexo e tem vários mecanismos funcionando ao mesmo tempo . Crédito: Divulgação/ Hospital de Olhos de Vitória

De acordo com Gomes, a opção pela cirurgia combinada é feita de acordo com a necessidade do paciente. Às vezes, fazer um procedimento só, sem mexer em várias estruturas do olho, pode ser mais indicado. "Temos que levar em conta a condição do paciente. É uma decisão técnica. Em determinadas circunstâncias, para resolver um problema, temos que resolver outro antes. Sempre que possível, sugerimos a realização de uma etapa de cada vez, mas, às vezes, uma etapa só pode ser feita se a outra for resolvida antes. Levamos em conta o tempo que cada alteração pode esperar, além de outros fatores como saúde geral do paciente e até a pandemia. Nesse momento atual, evitar múltiplos deslocamentos é interessante", comenta o diretor clínico do Hospital de Olhos de Vitória.

O paciente, no entanto, pode ter uma condição que demanda que mais de um problema seja resolvido ao mesmo tempo. "Aí sim, temos hoje em dia essa possibilidade de combinar técnicas oftalmológicas diferentes e corrigir problemas diferentes num mesmo olho ao mesmo tempo, evitando que esse paciente seja reoperado, comprometendo, assim, o resultado da cirurgia."

URGÊNCIA

Até num caso de urgência pode ser necessário fazer duas operações ao mesmo tempo, como em um caso de descolamento de retina. "Se houve um descolamento de retina por trauma, outras alterações podem estar acontecendo ao mesmo tempo, por exemplo o deslocamento do cristalino. Nesse caso, temos que resolver os problemas ao mesmo tempo. Remover o cristalino deslocado, reposicionar a retina e implantar uma lente intraocular", cita Gomes.

Ele lembra que o Hospital de Olhos de Vitória oferece atendimento 24 horas para situações de urgência. Uma perda súbita da visão, traumas oculares, visão turva súbita, sangramento, dor ou vermelhidão nos olhos, corpo estranho nos olhos, ceratites e uveítes são alguns dos casos que podem ser resolvidos pela equipe de plantão do HOV.

Cirurgias associadas podem envolver mais de um profissional. "Isso pode variar de acordo com as habilidades do cirurgião. Geralmente, por serem cirurgias maiores e mais prolongadas, optamos por dividir as etapas cirúrgicas utilizando especialistas em cada fase operatória. Dessa forma alcançamos resultados melhores e evitamos sobrecargas individuais na equipe", diz o especialista.

O objetivo nessas situações, segundo Renato Gomes, é buscar o menor trauma possível e menos riscos para o paciente. "Sempre temos que tentar ser o menos invasivos possível. Quando é necessário operar mais de uma área do olho ao mesmo tempo, acabamos por ampliar o tempo cirúrgico, o que pode aumentar alguns riscos. Cada caso deve ser avaliado individualmente, levando em conta as características dos problemas e do paciente", finaliza o cirurgião oftalmológico.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Saúde

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.