ASSINE
Colunista de Famosos

“Saio de Vila Velha revigorada”, diz Cacá Werneck, ex de Monique Evans

DJ da The Week retocou harmonização facial, em clínica do Espírito Santo, e abriu o jogo sobre o fim do namoro de 6 anos com Monique Evans

Publicado em 23/10/2020 às 10h28
A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha
A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha. Crédito: Pedro Permuy

A separação de Monique Evans, de 64 anos, depois de 6 anos de relacionamento foi a gota d’água para Cacá Werneck, de 35 anos, amargar uma onda de baixo astral que já vinha se arrastando há alguns meses. “Eu falo que é um tsunami que veio, destruiu tudo e agora está indo embora. E no que está indo embora, estou pegando e segurando dessa tragédia tudo o que eu quero para a minha vida daqui para frente”, fala, em bate-papo com a coluna.

Sem descartar novos momentos com a mãe de Bárbara Evans e dizendo que ainda tem amor pela modelo que foi ícone do Brasil por décadas, a artista diz que a passagem nesta semana por Vila Velha, no Espírito Santo, foi providencial. Após curtir quase 24h no Estado, entre a quarta (21) e quinta (22), Cacá retorna ao seu apartamento, em Ipanema, no Rio de Janeiro, totalmente renovada.

“Melhorou muito meu astral essa vinda. Ri muito com a minha amiga Mariana Laranja (a dentista), a esposa dela, com a noite que eu tive... E relaxei. Estou saindo daqui renovada. Esteticamente e como pessoa, né? Estou me sentindo amada, cuidada”, confidencia.

Cacá Werneck

Artista

"Às vezes a gente chega ao fundo do poço, na escuridão, e pensa que não há volta. Mas dá, sim, para voltar à luz"
A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha
A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha. Crédito: Pedro Permuy

Mas o momento de relax foi só consequência do real motivo que trouxe a DJ da The Week a Vila Velha. Na tarde da última quarta (21), ela retocou sua harmonização facial, realizada pela colega da área da saúde. Cacá colocou mais fios de PDO e se submeteu a aplicações de botox e preenchimento. “Nunca fui de fazer procedimentos estéticos. Vejo muita gente fazendo e perdendo a identidade”, diz, ao indicar cautela na hora de apelar para a estética.

Antes da harmonização, feita no Espírito Santo, a DJ só havia entrado no centro cirúrgico aos 18 anos, no México, quando colocou suas próteses de silicone. “O pessoal brinca, pela minha aparência, que eu vou tirar os peitos e não vou, não! Vou é aumentar! Gosto dessa coisa meio andrógina, meio menino e meio menina. Acho que sou metade metade. Me sinto bem assim”, justifica.

No entanto, passa longe de Cacá quaisquer ressentimentos por comentários de ódio e maldosos que sofre dos “juízes” que se manifestam na internet. Na web, ela passou a ser ainda mais bombardeada com opiniões de internautas depois de toda a polêmica de seu término com Monique envolvendo até a herdeira da ex-namorada.

“A maioria eu ignoro, alguns eu bloqueio... Nesse dia, uma psicóloga estudada comentou em um vídeo que, pela forma com que eu apareci, eu estava possuída. Fiquei pensando: ‘Como uma pessoa que estuda comportamento, analisa, pode falar uma coisa dessas?’. Aprendi com uma música de Maria Bethânia que a felicidade não existe, existem alegrias que nos fazem chegar lá. Tenho usado isso como lema”, afirma.

A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha
A DJ Cacá Werneck em passagem por hotel da Orla da Praia da Costa, em Vila Velha. Crédito: Pedro Permuy

“EU AMO MONIQUE EVANS”

Cacá adianta à coluna que já teve algumas conversas com Monique desde que a bomba do fim do relacionamento estourou e diz com todas as letras que "ama Monique Evans", deixando claro: "Não é aquele amor, amor de largar tudo, paixão. Mas eu gosto muito dela, acho ela incrível e vou continuar achando". Durante o bate-papo, este colunista percebeu que em alguns momentos foi até difícil para a DJ chamá-la de "Monique" e não se referir à ex como "amor".

E a coluna, que não é boba nem nada, sabe que o atual ex-casal ainda deve se reencontrar, o que pode render frutos. Isso porque a DJ ainda tem que buscar alguns itens pessoais na casa da modelo.

Carnaval de Vitória 2020: Monique Evans e a namorada, Cacá Werneck
Carnaval de Vitória 2020: Monique Evans e a namorada, Cacá Werneck. Crédito: Pedro Permuy

Sobre o que saiu na mídia, a artista lamenta e só diz ficar chateada pela falta de reconhecimento. “A gente viveu 6 anos e não ficamos separadas nunca. Com dinheiro, sem dinheiro, na dificuldade, na bonança... E não só eu cuidei dela. Ela também cuidou muito de mim, principalmente quando perdi meu pai. Muitas vezes ela esquecia a doença dela, que é a Síndrome de Borderline, para cuidar de mim. E as pessoas na internet julgam sem saber, sem terem visto as coisas dentro da nossa casa”, reitera.

Sem descartar uma conciliação e, talvez, novos momentos com Monique, Cacá termina: “Tudo na minha vida é energia, é amor. E eu não sou vingativa. Fez mal para mim? Ok, é isso. Eu sou tão amiga que só dou oportunidade de a pessoa errar comigo uma vez. Depois a pessoa não terá mais essa chance”.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Vila Velha Vila Velha LGBTQIA+ celebridades espírito santo Famosos Cirurgia plástica Bárbara Evans

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.