ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Vinhos para beber com gelo: de polêmicos a queridinhos

A moda de acrescentar gelo à taça começou na França e deu origem a um novo estilo de vinho, que atrai principalmente o público jovem

Publicado em 29/01/2021 às 09h00
Vinho branco servido com gelo
Na Europa, a moda de beber vinho com gelo já pegou entre o público mais jovem. Crédito: Shutterstock

Minha reação quando me serviram pela primeira vez vinho com gelo foi de estranheza. Achei uma má ideia. Por um conceito óbvio, imaginei logo que, conforme fosse derretendo, o gelo diluiria o vinho e este perderia suas principais características, aquelas de que falamos tanto por aqui. Todos os aromas e sabores que nos encantam na bebida iriam literalmente por água abaixo, pensei.

Mas não fique de queixo caído como eu fiquei, porque vinho traz inúmeras possibilidades. Dá para beber com gelo? Depende - essa palavrinha mágica, aliás, é usada constantemente no universo da bebida, que ainda se prende a alguns velhos conceitos e tem reputação elitista.

Além dos vinhos complexos que reservamos para momentos especiais, vale abrir espaço para aqueles mais democráticos, afinal, não faltam no mercado estilos que se encaixam em diversas ocasiões. O vinho é uma bebida versátil, então, por que não servir com gelo também?

TENDÊNCIA FRANCESA

Acredite se quiser, mas a tendência de colocar pedrinhas de gelo na taça com vinho começou na França, justamente o país de onde se espera um maior conservadorismo sobre o tema. 

O principal objetivo de alguns franceses era tornar a bebida mais refrescante e agradável nos dias quentes de verão. Mas não poderia ser com qualquer vinho. Então, pensando nos possíveis efeitos do gelo na taça, vinícolas daquele país passaram a produzir rótulos para serem consumidos dessa forma.

CONCENTRAÇÃO X DILUIÇÃO

O conceito foi criado para que a harmonia do líquido não se quebre com a diluição. A solução encontrada foi um vinho concentrado, com mais açúcar residual e mais álcool, que se mantém saboroso durante toda a apreciação.

A coisa ficou séria quando até as tradicionais casas de champanhe Veuve Clicquot e Moët & Chandon lançaram suas versões para serem consumidas com gelo.

Nádia Alcalde

Sommeliére

"Além dos vinhos complexos que reservamos para momentos especiais, vale abrir espaço para aqueles mais democráticos, afinal, não faltam no mercado estilos que se encaixam em diversas ocasiões."

No geral, esses vinhos costumam ser mais doces e podem aparecer em rótulos mais frutados e cremosos. A ideia é que sejam apenas mais refrescantes na temperatura mais baixa e ótimos para serem consumidos na praia ou na piscina.

PÚBLICO JOVEM

Apesar de não ser uma grande tendência entre os enófilos, a moda já pegou entre o público mais jovem. Na Europa, é fácil encontrar bares que realizam o serviço do vinho com um gelinho na taça.

Se mesmo assim você ainda está achando a ideia estranha, uma boa alternativa é congelar uvas, substituindo as pedras de gelo e evitando, assim, a diluição da água no vinho.

Mas se ainda não provou e curtiu a proposta, separei abaixo três dicas de bons rótulos para tomar com gelo:

Vinhos para beber com gelo sugeridos pela colunista Nádia Alcalde
  • TOUS À LA MER ROSÉ
  • Vinho francês rosé ice elaborado com uva Cinsault que apresenta a doçura da casta. É leve, tem boa acidez e revela frutas vermelhas frescas e notas florais. A embalagem logo sugere o consumo nos dias mais quentes de verão. Para harmonizar, vale apostar em camarões grelhados e petiscos.
  • Quanto: R$ 94,40, na World Wine.
  • CASA PERINI ESPUMANTE DEMI-SEC ICE
  • Elaborado na Serra Gaúcha pelo método charmat, apresenta aromas de lichia, carambola e leve floral. Tem acidez agradável e a doçura torna-se bem delicada após colocadas pedrinhas de gelo. Para combinar, pense em peixe com molho agridoce, em frutas secas ou em saladas com molhos adocicados. Canapés com toque adocicado, castanhas e brie com mel também combinam.
  • Quanto: R$ 52,90, no supermercado Carone. (27) 99805-0794.
  • ROSÉ PISCINE 
  • Produzido a partir de uma uva autóctone do Sudoeste da França, a Negrette, tem aroma sedutor e maior concentração de açúcar. É um vinho que exige o consumo com gelo para atingir seu equilíbrio. No nariz é frutado, com toques de pêssego, e possui notas florais. Bastante refrescante e agradável, harmoniza bem com salmão e molho de maracujá. 
  • Quanto: R$ 100, na Mil Vinhos. (27) 99984-9020.

Clique aqui para ler as colunas anteriores. Acompanhe a colunista também no Instagram.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gastronomia Fique bem opinião vinhos

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.