ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Vinho laranja está em alta nas taças: saiba mais sobre a bebida

Os vinhos de cor laranja são especiais desde a maneira como são produzidos até o momento de sua apreciação, e têm despertado a curiosidade dos enófilos

Publicado em 15/01/2021 às 09h00
Taças com vinho laranja
Vinhos laranjas têm essa cor devido à maceração das cascas das uvas. Crédito: Shutterstock

Os vinhos ideais para beber no verão são geralmente mais leves, frescos e menos alcoólicos, porém não precisamos fazer disso uma regra. Todas as opções são válidas e variedade é o que não falta no mercado. Você já ouviu falar ou experimentou algum vinho laranja? É uma excelente escolha, pois tem textura como um tinto e é refrescante como um branco.

Muitos não se aventuram com vinhos laranjas por acharem logo que são oxidados e tenham passado do seu ápice, mas não! Existem várias maneiras de se fazer esse vinho, e o curioso é que ele não foi inventado agora. Na verdade, é bem antigo, produzido por meio de uma técnica ancestral.

Antigamente, todos os vinhos poderiam ser considerados vinhos naturais, pois não havia adição de sulfitos para conservação e porque eram feitos com levedura das próprias uvas. Estas, após colhidas, eram colocadas em ânforas de terracota revestidas com resina e enterradas no solo.

O resultado, após um longo período de maturação, era um vinho de cor alaranjada. Com o tempo, essa técnica foi aperfeiçoada e outras foram criadas. Alguns produtores ainda se baseiam no modelo antigo, já outros preferem elaborar o vinho laranja de forma semelhante à do vinho tinto, mas utilizando uva branca.

Ânfora utilizada na produção de vinhos laranjas
Ânfora utilizada na produção de vinhos laranjas pelo método antigo. Crédito: Vinho e Etc

A casca da uva é a responsável pela cor do vinho e por seus taninos (que dão aquela sensação de adstringência na boca). Na produção do vinho laranja, o sumo é deixado por mais tempo em contato com as cascas e dessa forma se consegue a cor alaranjada. Consequentemente, um pouco de tanino também, o que não é muito comum em vinhos feitos com uvas brancas.

Por esse motivo, alguns sommeliers gostam de classificá-lo como o vinho da dúvida, e talvez seja esse o que você está procurando. O laranja é encorpado e untuoso no paladar e quase lembra um tinto. Ao mesmo tempo, é rico em aromas e fresco como um vinho branco, trazendo notas florais, frutas e, em alguns casos, mineralidade bem presente.

3 DICAS DA COLUNISTA

Vinho laranja é sem dúvida especial, desde o momento em que é produzido até a hora de ser apreciado. Selecionei alguns que vale a pena conhecer, elaborados por meio de diferentes métodos e que estão à venda em adegas da Grande Vitória. Veja abaixo:

  • ARANCIONE VILLAGIO CONTI 2020
  • Excelente opção para quem quer conhecer um vinho laranja, este nacional da Serra Catarinense é vendido a um preço bastante acessível. Elaborado com as uvas brancas Ribolla Gialla, Grechetto, Vermentino e Malvasia de Cândia, tem maceração com as cascas por 90 dias. É complexo de aroma e apresenta taninos leves e bom corpo. Um rótulo bastante versátil e fácil de harmonizar, que combina com pratos mais condimentados. 
  • Quanto: R$ 79,50, no Empório Adega do Sul. (27) 99249-2351.
  • NARANJO TORONTEL MATURANA WINES 2017 
  • Belo exemplar chileno elaborado por meio do método antigo. Um vinho natural, com leveduras da própria uva e baixas doses de sulfito. Passa nove meses por ovos de concreto, que aqui fazem o papel da ânfora. Sua uva é a Torrontel. Bastante aromático, tem notas florais, de pêssego e de damasco. Acidez elegante em boca, bom corpo e final longo. Vai bem com camarão, carnes branca e carne de porco. 
  • Quanto: R$ 129 nos supermercados Perim. (27) 99840-3056
  • ORANGE DE NOIRS 2017 
  • Rótulo orgânico espanhol feito com uvas de um vinhedo antigo, com idade superior a 80 anos. Corte de 70% de uma variedade tinta local, a Sumoll Negre, e 30% da branca Xare-lo. Sua fermentação acontece com leveduras naturais e em ânforas de barro. Passa também sete meses em barril de carvalho, sem filtragem, o que gera alguma turbidez aparente na taça. É um vinho com muita personalidade, de nariz com grande intensidade de frutas, como caju e acerola, e flores brancas. Na boca tem acidez marcante, é fresco e tem boa estrutura e textura. 
  • Quanto: R$ 259, na Espaço DOC. (27) 99844-6201.

Acompanhe a colunista também no Instagram. Para ler as colunas anteriores, clique aqui. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gastronomia Fique bem vinhos opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.