ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Saiba por que a vindima é a melhor época para ir à Serra Gaúcha

A colheita das uvas no verão é o momento em que os parreirais estão carregados e as vinícolas repletas de atrativos especiais

Publicado em 04/02/2022 às 02h00

Vindima é a colheita da uva, e também é um período de muita festa nas áreas produtoras pelo mundo afora. Aqui no Brasil, na Serra Gaúcha, a colheita costuma acontecer de fevereiro até meados de março.

A região concentra 85% da produção de vinhos e espumantes do país, e essa é sem dúvida a melhor época para fazer enoturismo.

Sempre ouço histórias de turistas que ficam indignados ao visitar vinícolas em época de dormência ou de brotação das videiras e não se conformam por não ver um cachinho de uva sequer.

Na maioria dos lugares, a colheita acontece apenas uma vez ao ano. E é no calor do verão que os parreirais ficam verdíssimos, carregados com uvas de todas as variedades, que perfumam o ar com o aroma da fruta madura, pronta para ser colhida.

Vindima, colheita de uvas para produção de vinhos
No verão, os parreirais ficam carregados de fruta. Crédito: Shutterstock

Em tese, o calor é responsável pela quantidade de açúcar da uva e fundamental durante o período de amadurecimento. 

Além dos parreirais carregados, é possível acompanhar na vindima a colheita e o processo de produção dos vinhos. 

Algumas vinícolas organizam roteiros especiais, que valorizam a cultura e a tradição do local. Tem pisa das uvas, piquenique nos parreirais, entre outros atrativos - e o melhor é que é tudo regado a muito vinho.

Não era para menos, afinal a colheita simboliza o resultado do trabalho árduo de um ano inteiro, e sabemos que não são poucos os desafios, a começar pelas mudanças climáticas que ocorrem em todo o mundo.

É chuva daqui, aquecimento dali... Para se ter uma ideia, em alguns casos com grandes alterações, a renda da vinícola pode ser totalmente comprometida.

Não é o caso de 2022 na Cooperativa Vinícola Garibaldi, por exemplo. A expectativa é de que a safra deste ano seja ligeiramente maior do que a de 21. 

Ricardo Morari

Enólogo da Cooperativa Vinícola Garibaldi

"A estiagem das últimas semanas merece atenção, porém não são todos os vinhedos que estão sofrendo severamente com a seca, o que nos permite, sim, confirmar a perspectiva de uma safra de excelente qualidade."

Garantia, então, de paisagens exuberantes para quem quer viajar nesta época do ano e aproveitar a vindima na Serra Gaúcha. Vale lembrar que todas as vinícolas estão exigindo o passaporte de vacina para validar os passeios. Veja abaixo algumas sugestões:

Colheita noturna na vinícola Larentis 

  • Que tal colher uvas à noite? O passeio tradicional da vinícola inclui degustação de vinhos e espumantes, visita guiada aos vinhedos e colheita noturna, além de um jantar italiano. Quando: 5 e 12 de fevereiro. Mais informações: (54) 3453- 6469.

Degustação às cegas na Garibaldi 

  • Em meio a passeios históricos, a Cooperativa Vinícola Garibaldi propõe uma degustação para aguçar os sentidos. Por lá, os turistas podem visitar as caves e conhecer uma enorme pipa com capacidade de 100 mil litros, participando, na sequência, de uma degustação às cegas para desvendar aromas e sabores. Quando: de segunda a sábado, até o final de março. Mais informações: (54) 99196-5577. 

Restaurante Maria Valduga na vinícola Casa Valduga, na Serra Gaúcha
Restaurante Maria Valduga é palco de jantares na Casa Valduga. Crédito: Casa Valduga/Divulgação

Bate-papo com os produtores na Vinhos Fabian

  • A vinícola é familiar e fica na rota “Caminhos do Alfredo”, em Flores da Cunha. São várias as rotas na Serra Gaúcha e bem distantes umas da outras, então, vale se programar com bastante antecedência. Quem recebe na vinhos Fabian são os donos, super simpáticos e atenciosos, e nada melhor do que a experiência direto com os produtores para entender tudo o que acontece antes de os vinhos chegarem às taças. Quando: de segunda a sexta, às 10h, 14h e 16h; aos domingos, às 15h30, sob agendamento. Mais informações:(54) 99994-9033.

Música italiana na Vinícola Cristófoli

  • Gostaria de degustar os vinhos de uma vinícola ao som de música italiana? Na Cristófoli Vinhos de Família, a experiência é possível e inclui ainda queijos, pães artesanais e a famosa pisa da uva. A vinícola fica na Rota do Rio das Antas. Quando: 12, 19, 26 e 28 de fevereiro. Mais informações: (54) 3439-1190.

Café nos vinhedos da Casa Valduga

  • A vindima na Casa Valduga conta com hospedagem. Na vinícola, é possível comprar pacotes de duas ou três diárias no fim de semana e participar de diversas atividades, desde café da manhã nos vinhedos até colheita da uva e refeições harmonizadas. Quando: até o fim da colheita. Mais informações: (54) 2105-3154.

Este vídeo pode te interessar

Acompanhe a colunista também no Instagram.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Gastronomia vinhos

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.