ASSINE
Apaixonada por vinhos, Nádia Alcalde é jornalista, sommelière e consultora. Escreve sobre o universo da bebida, antenada com lançamentos, tendências e notícias.

Pét-nat: método antigo de fazer espumantes está em alta

Pétillant naturel, ou "efervescente natural", é uma bebida bastante fresca e jovial, elaborada com um estilo diferente de fermentação

Publicado em 08/09/2021 às 17h42
Pét-nat
Tampa de metal e rótulos com desenhos criativos compõem a estética dos pét-nats. Crédito: Shutterstock

Você já ouviu falar em pét-nat? É um tipo de espumante, feito com um método diferente e que está se tornando cada vez mais popular no Brasil. O nome a princípio nem lembra vinho, mas a história dessa bebida é antiga. Na verdade, essa onda recente dos pét-nats está mais para um resgate do que para uma novidade de mercado.

Pét-nat é a abreviatura para o termo pétillant naturel, que traduz do francês para o português como "efervescente natural". Muitos o resumem como um espumante de método ancestral, por tratar-se de uma maneira mais simples de elaborar a bebida.

Sua história começou na França, onde o espumante foi criado por monges ao perceberem que a fermentação inacabada originava gás carbônico dentro da garrafa, e isso tornava o líquido efervescente e mais saboroso. Tal descoberta foi aperfeiçoada com o tempo, e o que difere o pét-nat do espumante a que estamos acostumados é justamente esse tipo de produção.

O champanhe, por exemplo, passa por dois tipos de fermentação: a primeira em tanque de aço inoxidável e a segunda na própria garrafa - e esse é o momento em que o vinho base da primeira fermentação adquire as borbulhas. A segunda fermentação acontece por aproximadamente dois meses, o que torna a bebida mais complexa em aromas e em sabores.

FERMENTAÇÃO

O pét-nat, por sua vez, é engarrafado ainda durante a primeira fermentação. Isso ocorre antes da conversão de todo o açúcar em álcool, ou seja, a fermentação segue acontecendo dentro da garrafa. Com isso, na elaboração do vinho são gerados menos gás e álcool.

Pode-se dizer também que o pét-nat é uma bebida natural, sem adição de sulfitos, por conta das leveduras que permanecem na garrafa e fazem o papel de conservante.

Essa maneira mais simples de se fabricar espumante é muito popular na Europa e tem chamado a atenção também de muitas vinícolas brasileiras. Alguns enófilos se arriscam a fazer em casa, e certos profissionais do mercado gostam de comparar o crescimento dos pét-nats com o das cervejas artesanais.

Mas para encarar essa produção é preciso ter técnica e muito conhecimento, pois a pressão interna formada dentro da garrafa pode ocasionar sérios acidentes.

QUE SABOR ESPERAR DE UM PÉT-NAT?

O pétillant naturel pode ser um espumante branco, rosé ou tinto. É uma bebida bastante fresca e muito fácil de beber. Por conta do estilo de fermentação, é possível sentir também um toque de doçura, uma certa turbidez e bolhas muito sutis.

Muitos produtores utilizam uvas como Chardonnay e Pinot Noir (as mais conhecidas para espumantes) e também cepas americanas como Niágara e Isabel. A estética rústica faz parte do charme do pét-nat: tampa de metal e rótulos ilustrados com desenhos criativos e descolados, por exemplo, em uma pegada mais moderna e jovem.

O resultado é um líquido despretensioso, divertido, refrescante e sobretudo artesanal. Pét-nat é uma boa aposta de consumo para os dias mais quentes. Listei abaixo três boas opções para quem quer conhecer a bebida. Confira!

  1. 01

    Buffon Prosecco Col Fondo

    Anderson Buffon, o enólogo responsável por esse espumante, é fã do método ancestral. Ele acredita que assim os aromas de frutas primários são muito mais conservados. O recém-lançado Buffon Prosecco Col Fondo é elaborado 100% com a uva Glera, a mesma usada para fazer proseccos. As borras das leveduras o tornam rústico e bastante cremoso. Foram produzidas apenas 300 garrafas. Quanto: R$ 106 a garrafa, na Seleção Terroir. (27) 98162-9011.

  2. 02

    Penzo Farfalla Lorena Pét-Nat

    A vinícola Penzo, de São Valentim do Sul (RS), é famosa e reconhecida pela elaboração de espumantes pét-nats. O Farfalla é feito 100% com uvas Lorena, que estamos acostumados a consumir in natura. No caso desse espumante, as leveduras foram retiradas após 12 meses em contato com o vinho. Esse processo, que se chama degórgement, torna o liquido mais límpido e origina aromas com bastante notas da fermentação, como pão torrado e brioche. O sabor desse vinho é rico e intenso, e sua qualidade impressiona. Quanto: R$ 132 a garrafa, no Empório Vino do Sul. (27) 99629-2848. 

  3. 03

    Faccin Pét-nat Branco 2020

    A família Faccin produz vinhos com pouca intervenção humana, utilizando uvas orgânicas, com zero adição de sulfitos e também sem filtragem. O pét-nat branco traz aromas bem diferentes do que estamos acostumados a sentir nos vinhos. Aromas de açafrão-da-terra e de farinha de milho são alguns dos que podemos encontrar. Trata-se de um espumante turvo e com borbulhas bem delicadas. É bastante seco na boca e tem um retrogosto um pouquinho adstringente, lembrando até casca de laranja. Muito gostoso e fácil de harmonizar, esse pét-nat vai bem tanto com queijos quanto com frutos do mar e saladas. Quanto: R$ 149,90 a garrafa no e-commerce Sonoma.

Clique aqui para ler as colunas anteriores e acompanhe a colunista também no Instagram

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.