ASSINE
É jornalista e tem um olhar atento sobre comportamento, arte, relacionamentos e lifestyle. Compartilha as suas ideias sempre com a intenção de criar ambientes favoráveis ao desenvolvimento das pessoas

Como resgatar a boa relação com o pai depois de muito tempo

Minha dica: Convide o seu pai para um encontro, zere o marcador e inicie um novo percurso

Publicado em 01/08/2020 às 08h00
Atualizado em 02/08/2020 às 21h57
Homens se abraçando; Pai e filho
"Acredite, o campo do amor é fértil e a colheita é farta". Crédito: Freepik

Alex

Leitor

"Meus pais se separaram quando eu tinha 10 anos. Minha mãe ficou muito magoada e, sempre, tentou que eu ficasse afastado do meu pai. Eu passei a minha vida muito dividido entre os meus sentimentos. Meu pai sempre tentou se aproximar, mas a relação não fluiu bem. Agora já casado e pai de dois meninos, sinto vontade de me reaproximar. Como agir? "

Com amor meu caríssimo leitor. Esse é o melhor caminho. Acredito que quando os nossos familiares têm um espaço reservado na nossa vida e são reconhecidos, nos sentimos mais completos e mais potentes diante da vida.

Quando há uma separação entre casais com filhos, infelizmente é comum que as magoas e as decepções atinjam os filhos. Esse é um movimento doloroso que demonstra uma grande falta de maturidade emocional dos pais e deve ser repensada e reprogramada afinal, sabemos que a formação de uma pessoa, consiste em cinquenta por cento do pai e os outros cinquenta por cento da mãe. É fato! E desmerecer os parceiros (que foram escolhidos por nós), somente vai causar dor e trauma aos filhos.

Minha dica: Convide o seu pai para um encontro, zere o marcador e inicie um novo percurso. Fale sobre a sua vida, os seus filhos, pergunte sobre a vida dele as histórias de família, de quando ele era criança, pergunte sobre os seus avós... Reconstrua a familiaridade de vocês sem culpas, medos ou queixas. Escolha pensar que ele fez o que podia, com as “ferramentas” que ele tinha e, que junto com a sua mãe eles lhe deram a vida, penso que já é o suficiente. Concorda?

Acredite, o campo do amor é fértil e a colheita é farta.

Até a próxima!

Fique bem opinião

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.