ASSINE
É Fisioterapeuta, acupunturista e especialista em avaliação e tratamento de dor crônica pela USP. Entende a saúde como um estado de equilíbrio para lidar com as adversidades da vida de forma mais harmônica

Dor lombar e pélvica em gestantes

Queixas tão prevalentes acabam gerando incapacidades, afastamento precoce do trabalho e um grande temor de não conseguir realizar parto natural devido à dor

Publicado em 01/11/2021 às 02h00

Mais de dois terços das mulheres grávidas sentem dor lombar e quase um quinto sente dor pélvica. Ambas condições podem ocorrer separadamente ou juntas e normalmente aumentam com o avanço da gravidez. Há ainda os fatores de risco para desenvolver estas queixas que envolvem aumento de peso durante a gravidez, história anterior de lombalgia e baixa satisfação no trabalho.

Queixas tão prevalentes acabam gerando incapacidades, afastamento precoce do trabalho (antes do período esperado para licença maternidade) e um grande temor de não conseguir realizar parto natural devido à dor.

Mulher grávida; Grávida; Gestante; máscara; Covid-19
Mais de dois terços das mulheres grávidas sentem dor lombar e quase um quinto sente dor pélvica. Crédito: PVProductions/Freepik

Há evidências de baixa qualidade de que exercícios podem reduzir a dor lombar relacionada à gravidez e evidências de qualidade moderada a baixa sugerindo que qualquer exercício melhora a incapacidade funcional e reduz as licenças médicas. Evidências de estudos únicos sugerem que a acupuntura ou terapia craniossacral melhora a dor pélvica relacionada à gravidez, e a osteopatia ou uma intervenção multimodal (terapia manual, exercícios e educação) também pode ser benéfica.

A osteopatia é uma abordagem que avalia o corpo inteiro para diagnosticar, tratar e prevenir doenças ou lesões através da restauração do movimento com técnicas manipulativas. Sendo o período gestacional e da lactação um momento em que muitas condutas são contraindicadas, a osteopatia vem como uma excelente estratégia para normalização dos tecidos da região lombar e pélvica e sofrem tantas mudanças com o aumento do volume do útero gravídico.

Este vídeo pode te interessar

As técnicas de terapia craniossacral podem ser usadas para liberar o acúmulo de tensão na fáscia de conexão, ligamentos e músculos da região lombar e pélvica, promovendo uma sensação de relaxamento e aprimorando a consciência corporal.

A acupuntura consiste na punção de agulha em pontos meridianos clássicos, com o objetivo de promover o fluxo de energia. O manejo da dor lombar e pélvica com acupuntura ativa os mecanismos opioides de alívio da dor do próprio corpo. 

Educar a gestante sobre técnicas de relaxamento, evitando crenças sobre posturas e fragilidade da coluna tende a acalmar e alinhar as expectativas neste momento em que naturalmente já há muitos planejamentos para uma boa hora.

Por fim, recomenda-se um cuidado integral a pessoa, especialmente pelo período delicado em que já não é mais somente uma pessoa, neste período geracional e gestacional, o acolhimento com combinação de técnicas parece ser o mais adequado e seguro.

Este texto não traduz, necessariamente, a opinião de A Gazeta.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Saúde

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.