ASSINE

Artista capixaba fez as três imagens do Cristo Redentor no ES

Os monumentos de Colatina, Guaçuí e Mimoso foram construídas por Antônio Francisco Moreira. Apesar do mesmo autor, cada uma das imagens tem a própria característica e significado para suas cidades

Colatina / Rede Gazeta
Publicado em 07/05/2021 às 15h59
Cristo Redentor de Colatina
Cristo Redentor sendo construído em Colatina. Crédito: Arte | A Gazeta

Eles são grandiosos, imponentes e encantadores. Três cidades do Espírito Santo compartilham um cartão-postal parecido. Em ColatinaGuaçuí Mimoso do Sul as imagens do Cristo Redentor marcam quem chega aos locais. Mas a coincidência vai além disso, nos três municípios a obra foi assinada por um mesmo artista capixaba. Natural de Guaçuí, Antônio Francisco Moreira é o autor das obras que são referências em suas cidades.

Apesar do mesmo autor, cada uma das imagens tem a própria característica e significado para suas cidades. Além disso, as construções delas também são cercadas por muitas histórias marcantes.

gUAÇUÍ, cOLATINA
As imagens em Guaçuí, Colatina e Mimoso do Sul . Crédito: Reprodução

COLATINA

Do alto dos seus 35 metros e meio de altura, a imagem de Colatina é a mais alta entre as três do Estado. Obra grandiosa para a época, ela foi inaugurada em 1975. Junto com o pôr do sol e o Rio Doce, o monumento é um dos cartões postais de Colatina.

Cristo Redentor é um cartão-psotal e
Cristo Redentor é um cartão-postal em Colatina. Crédito: Amarelo Nardotto

Com sua imponência, a escultura pode ser vista de vários bairros da cidade e encanta até quem já está acostumado. A aposentada Maria da Penha Alves era menina quando a obra começou e carrega um carinho pelo Cristo, tão grande quanto ele. “Eu adoro morar perto dele, não troco aqui por outro lugar”, contou.

A estátua foi reformada recentemente, mas por causa da pandemia do coronavírus os visitantes não podem subir. Mas, mesmo de longe, a imagem gigante do Cristo Redentor segue encantando e renovando a fé das pessoas.

A construção do Cristo Redentor de Colatina

A constução do Cristo Redentor em Colatina
A construção do Cristo Redentor de Colatina. Reprodução
A construção do Cristo Redentor em Colatina
Obra na cidade de Colatina. Américo Gava
A construção do Cristo Redentor em Colatina
Maior Cristo Redentor do Espírito Santo. Reprodução
A construção do Cristo Redentor em Colatina
Cristo Redentor é símbolo de Colatina . Acervo/ Família Dalla Bernardina
A construção do Cristo Redentor em Colatina
Início das obras. Acervo/ Família Dalla Bernardina
Início das obras
Início das obras
Início das obras
Início das obras
Início das obras

Apesar de sua identificação com o município, uma história curiosa cercou os primeiros anos após a sua construção. A Prefeitura de Colatina atrasou o pagamento para o artista. Três anos depois ele voltou ao município para cobrar e ameaçou explodir a obra. Devacyr Zaché tinha acabado de assumir a prefeitura e foi obrigado a negociar com Antônio Francisco Moreira.

A Câmara de Vereadores aprovou e a prefeitura dividiu o valor em duas parcelas de 110 mil cruzeiros na época. O ex-prefeito lembra que o artista só conseguiu receber a última parcela do pagamento em 1980, dois anos depois.

Os encantos do Cristo Rendetor de Colatina
Os encantos do Cristo Rendetor de Colatina. Crédito: Amarelo Nardotto

GUAÇUÍ

Natural de Guaçuí, o artista Antônio Francisco Moreira também deixou sua marca na cidade natal. O monumento ao Cristo Redentor é o principal cartão postal do município. São 21 metros de altura e quase 100 toneladas.

A obra foi construída durante 113 dias e concluída em 26 de dezembro de 1956. A construção foi sugerida pelo próprio artista e autorizada pelo prefeito na época, Djalma de Sá Oliveira.

O Cristo Redentor de  Guaçuí
O Cristo Redentor de Guaçuí . Crédito: Prefeitura de Guaçuí

A estátua é uma referência para os moradores e palco para visitas e ensaios fotográficos. É difícil encontrar na cidade quem não tenha uma foto no local. Dele, os visitantes conseguem ter uma bela visão da cidade e da cadeia de montanhas que compõem o entorno do Parque do Caparaó.

 O
O Cristo Redentor de Guaçuí. Crédito: Prefeitura de Guaçuí

MIMOSO DO SUL

A última estátua construída por Antônio Francisco Moreira fica em Mimoso do Sul. Na cidade a obra foi pedido de um juiz e começou em 1980. Foram dois anos até ficar tudo pronto.

O criador do monumento trabalhava dia e noite para entregar o que seria o marco da cidade e de uma forma bem inusitada. Antônio não usava equipamentos de segurança e ficava nas alturas.

O Cristo Redentor de Mimoso do Sul
O Cristo Redentor de Mimoso do Sul . Crédito: TV Gazeta Sul / Reprodução

O monumento foi eleito pelos moradores como a primeira maravilha de Mimoso do Sul, o Cristo Redentor fica situado em um monte de 128 metros de altura, próximo ao centro da cidade. No monumento também pode ser encontrado um grande chafariz e a capela de Santa Terezinha do Menino Jesus

A construção do cristo em Mimoso do Sul

O Cristo Redentor de Mimoso do Sul sendo construído
A construção do cristo em Mimoso do Sul . Reprodução
O Cristo Redentor de Mimoso do Sul sendo construído
A construção do cristo em Mimoso do Sul . Reprodução
O Cristo Redentor de Mimoso do Sul sendo construído
A construção do cristo em Mimoso do Sul . Reprodução
O Cristo Redentor de Mimoso do Sul sendo construído
A construção do cristo em Mimoso do Sul . Reprodução
A construção do cristo em Mimoso do Sul
A construção do cristo em Mimoso do Sul
A construção do cristo em Mimoso do Sul
A construção do cristo em Mimoso do Sul

ARTISTA AUTODIDATA

Natural de Guaçuí, Antônio Francisco Moreira era autodidata e morreu em 1983, aos 63 anos de idade. Ele era autodidata e gostava de chamar todas suas obras de bonecos. Além das obras nas três cidades, o capixaba é responsável por outras esculturas no Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo.

Antônio Francisco Moreira é o artista que construiu as três esculturas no ES
Antônio Francisco Moreira é o artista que construiu as três esculturas no ES. Crédito: Acervo Familiar
Colatina Guaçuí Mimoso do Sul capixaba capixaba Capixapédia colatina jesus cristo Arte

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.