ASSINE

OAB e bombeiros recebem doações para vítimas das enchentes na Bahia

Chega a dez o número de mortos, no total, 200.297 pessoas foram afetadas pelas chuvas de alguma forma -6.371 estão desabrigadas, e outras 15.199, desalojadas

Tempo de leitura: 3min
Publicado em 14/12/2021 às 16h37
Região de Itamaraju, na Bahia, após ciclone. Estado decretou calamidade
Região de Itamaraju, na Bahia, após ciclone. Estado decretou calamidade. Crédito: Arthur Loures | @arthurlr23

Além de famosos como Anitta, Felipe Neto, Gil do Vigor e Whindersson Nunes, que se organizaram para ajudar as vítimas das chuvas que afetam a Bahia, há iniciativas para reunir doações coordenadas pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar da Bahia, a OAB-BA (Ordem dos Advogados do Brasil na Bahia) e a ONG Ação da Cidadania.

Chega a dez o número de mortos com os temporais. O de cidades em situação de emergência passou de 32 para 51. No total, 200.297 pessoas foram afetadas pelas chuvas de alguma forma -6.371 estão desabrigadas, e outras 15.199, desalojadas.

Neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) sobrevoou Porto Seguro. Ele usou a visita para atacar as medidas de lockdown e outras restrições de deslocamento decretadas por governadores como forma de combate ao coronavírus.

"Também tivemos uma catástrofe no ano passado, quando muitos governadores, e o pessoal da Bahia, fecharam todo o comércio e obrigaram o povo a ficar em casa. Povo, em grande parte [trabalhadores] informais, condenados a morrer de fome", afirmou ele, após o sobrevoo.

Este vídeo pode te interessar

No Corpo de Bombeiros, as doações podem ser deixadas em qualquer quartel da corporação no estado.

Na Polícia Militar, as arrecadações podem ser feitas na sede da 43ª Companhia Independente da Polícia Militar (43ª CIPM/Itamaraju) e no quartel do 4° Pelotão, em Jucuruçu.

Em Salvador, o shopping Paralela também anunciou a campanha S.O.S Sul da Bahia, para servir como ponto de arrecadação de itens como alimentos, água, roupas e cobertores, que podem ser entregues no piso L2.

Na sede da OAB-BA, na capital baiana, alimentos não perecíveis, água mineral, produtos de higiene e roupas podem ser entregues até o dia 17. Os itens também podem ser deixados nas salas da OAB-BA no TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia), nos fóruns Ruy Barbosa, do Imbuí e Criminal.

No sul do estado, as sedes das subseções de Itamaraju e de Teixeira de Freitas também estão recebendo donativos. Para mais informações, é preciso entrar em contato com as subseções de Itamaraju, pelo telefone (73) 3294-5557, ou de Teixeira de Freitas, (73) 3291-2753.

Por meio das redes sociais, a ONG Ação da Cidadania informou o envio de 70 toneladas de alimentos para cidades atingidas pela chuva, além de pedir doações para a campanha Natal Sem Fome destinada à Bahia, por meio do Pix CNPJ 00346076000173.

A rede de lojas Magazine Luiza comunicou ao governador da Bahia, Rui Costa (PT), a doação de 2.000 itens para a população de cidades afetadas: são 500 geladeiras, 500 fogões e mil colchões.

Outras 500 geladeiras foram doadas às vítimas das enchentes pela Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia), que pertence ao grupo Neoenergia, subsidiário do grupo espanhol Iberdrola.

Em parceria com a Ação da Cidadania, a rede iFood está servindo como meio para captação de doações a serem revertidas em cestas básicas usualmente destinadas à ONG, para que sejam aos municípios em situação emergencial na Bahia.

Para quem quiser contribuir ao movimento, a companhia irá dobrar as doações feitas para a Ação da Cidadania, via aplicativo, no ambiente de doação do perfil do consumidor.

Para doar, o usuário deve acessar o próprio perfil pelo app do iFood e, em seguida, clicar no campo doações e, por fim, selecionar "Doe cestas básicas para a Bahia". Até as 10h40 desta terça (14), ao menos R$ 3,9 milhões já haviam sido arrecadados.

A rede Cáritas Brasileira e a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), da Igreja Católica, lançaram a campanha #SOS Bahia e Minas Gerais: Solidariedade que Transborda.

A iniciativa busca angariar recursos para comprar alimentos, água potável, roupas, fraldas infantis e adultas, artigos de higiene pessoal e itens de proteção pessoal contra a Covid-19.

Os donativos serão distribuídos pelas Cáritas Diocesanas situadas próximas às áreas em situação crítica.

Além de alimentos e outros itens, as doações em dinheiro podem ser feitas pelas contas da Cáritas: Banco do Brasil (agência: 0452-9; conta corrente: 50.106-9) e Caixa Econômica Federal (agência: 1041; conta corrente: 1132-1).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.