ASSINE

Empresário é denunciado sob acusação de corrupção ligada aos Correios

Alvo da CPI da Covid, Maximiliano é acusado de participar de um esquema que envolvia o pagamento de propina a um ex-vice-presidente dos Correios e a um advogado, em troca de contratos

Publicado em 30/09/2021 às 18h08
Sócio-proprietário da Precisa Medicamentos, Francisco Emerson Maximiano.
Sócio-proprietário da Precisa Medicamentos, Francisco Emerson Maximiano. Crédito: Jefferson Rudy/Agência Senado

O dono das empresas Precisa e Global, Francisco Emerson Maximiano, foi denunciado pelo Ministério Público Federal em um caso relacionado a suspeitas de corrupção que envolve os Correios.

O sigilo da denúncia foi suspenso no mesmo dia em que o empresário, que já é alvo da CPI da Covid por supostas irregularidades no Ministério da Saúde, também foi o principal investigado de uma operação da Polícia Federal por suspeita de lavagem e corrução para obter contrato com a Petrobras.

Na denúncia, a Procuradoria em São Paulo acusa Maximiano de participar de um esquema que envolvia o pagamento de propina a um ex-vice-presidente dos Correios e a um advogado, em troca de contratos com a estatal.

O esquema foi delatado por Alexandre Romano, ex-vereador de Americana pelo PT, e faz parte da chamada Operação Custo Brasil, braço inicial da Lava Jato em São Paulo.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.