ASSINE

Eleitor sem máscara poderá ser retirado à força da votação, determina TSE

A nova resolução que foi aprovada pelos ministros do TSE,  afirma que "o uso de máscara de proteção, cobrindo boca e nariz, é obrigatório nos locais de votação

Publicado em 03/10/2020 às 10h18
Urna eletrônica usada nas eleições brasileiras
A nova resolução aprovada é válida para as eleições que ocorrem no meio da pandemia do novo coronavírus  . Crédito: Nelson Jr./Ascom/TSE

Os eleitores que não usarem máscara nos locais de votação durante o primeiro e segundo turno das eleições municipais poderão ser retirados à força dos colégios eleitorais. A nova resolução foi aprovada pelos ministros do TSE em uma reunião administrativa ocorrida na tarde desta quinta-feira (1º). Segundo a medida, a determinação será dada pelo juiz eleitoral ou do presidente da mesa no momento da votação.

A medida, que já é válida para as eleições deste ano, foi postulada no artigo 245 da resolução 23.361 o qual afirma que  que "o uso de máscara de proteção, cobrindo boca e nariz, é obrigatório nos locais de votação e no interior das seções eleitorais".

Na sequência, o texto é emendando pela informação de que o presidente da mesa ou o juiz eleitoral poderão "impedir o ingresso ou retirar da seção ou do local de votação qualquer pessoa que descumprir o disposto".

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais
Coronavírus Eleições 2020 Máscara de proteção facial

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.