ASSINE

Decisão sobre Lula 'tem potencial para remodelar futuro do Brasil'

É como analisa o New York Times diante da possibilidade de o ex-presidente disputar as eleições em 2022; vários jornais no mundo noticiaram a decisão da Justiça

Publicado em 08/03/2021 às 20h43
Atualizado em 08/03/2021 às 20h43
Na saída de Lula da prisão, uma multidão de manifestantes saudou o ex- presidente empunhando bandeiras do PT gritando palavras de ordem
Lula, quando deixou a prisão, reuniu vários apoiadores em Curitiba. Crédito: Estadão Conteúdo | Giuliano Gomes

A decisão sobre Lula foi para as manchetes on-line, quase imediatamente, de latino-americanos como o colombiano El Tiempo e o argentino La Nación, este com o enunciado "Anulam condenações de Lula por corrupção e ele poderá voltar a ser candidato."

Outros argentinos destacaram, como Clarín e Ámbito Financiero, assim como o chileno La Tercera, o espanhol El País, o britânico The Guardian e o alemão Süddeutsche Zeitung, com chamadas semelhantes nas páginas iniciais.

O New York Times  descreveu como "uma decisão com potencial para remodelar o futuro político do Brasil".

"Mr. da Silva, um inflamado líder de esquerda que liderou o Brasil de 2003 a 2010, era o favorito na disputa presidencial de 2018 que acabou sendo vencida por Jair Bolsonaro. Com seus direitos políticos restaurados, Silva deve concorrer contra Bolsonaro na eleição do próximo ano. O atual presidente, um líder polarizador de extrema direita que presta homenagens à ditadura militar no Brasil, enfrentaria um desafio formidável em Lula, um ex-prisioneiro político que continua sendo reverenciado entre os brasileiros pobres."

​Washington Post e outros jornais dos Estados Unidos estamparam o despacho da Associated Press. Jornais franceses como Le Monde recorreram à Agence France-Presse.

A Bloomberg ressaltou a queda na Bovespa e no câmbio, assim como o Financial Times, este dizendo que "o mercado reagiu mal".

Pelo Twitter, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou que "celebra" o retorno dos direitos políticos de Lula. "Foram anuladas as sentenças proferidas com o único propósito de persegui-lo e eliminá-lo da carreira política", escreveu.

Também publicaram mensagens de apoio ao ex-presidente os líderes do espanhol Podemos, Pablo Iglesias, e da esquerda francesa, Jean-Luc Mélenchon. E a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, se declarou "tão feliz!", porque "fez-se Justiça para Lula".

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.