ASSINE

Bolsonaro fala em traição e diz que não vai comprar vacina chinesa

O presidente Jair Bolsonaro negou a compra da vacina ao responder comentário de um internauta

Publicado em 21/10/2020 às 09h22
Atualizado em 21/10/2020 às 10h46
O presidente Jair Bolsonaro durante o lançamento do programa Voo Simples, no Palácio do Planalto.
Bolsonaro desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, no dia anterior, anunciou acordo com o Estado de São Paulo. Crédito: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desautorizou nesta quarta-feira (21) o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que, no dia anterior, anunciou acordo com o Estado de São Paulo para a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.

Ao responder ao comentário de um internauta que pediu que a vacina não fosse comprada porque ele tem 17 anos e diz querer ter "um futuro, mas sem interferência da ditadura chinesa", Bolsonaro negou a compra.

"NÃO SERÁ COMPRADA", escreveu Bolsonaro em letras maiúsculas.

Outro internauta acusou Pazuello de traí-lo com o acordo de compra da vacina e disse que Bolsonaro havia se enganado mais uma vez com alguém de sua equipe.

"Qualquer coisa publicada, sem comprovação, vira TRAIÇÃO", reagiu o presidente.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.