ASSINE

Ativista bolsonarista Sara Winter é presa pela PF em Brasília

Sara Winter é  líder do grupo 300 do Brasil. 0 mandado de prisão foi autorizado pelo ministro do STF Alexandre de Moraes

Publicado em 15/06/2020 às 08h55
Atualizado em 15/06/2020 às 10h05
A ativista Sara Winter é do movimento 300 do Brasil e apoia o presidente Jair Bolsonaro
A ativista Sara Winter é do movimento 300 do Brasil e apoia o presidente Jair Bolsonaro. Crédito: Facebook Sara Winter

A ativista Sara Winter foi presa pela Polícia Federal em Brasília nesta segunda-feira (15). Ela é líder do grupo "300 do Brasil", que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O mandado de prisão foi autorizado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), após pedido da Procuradoria-Geral da República.

A prisão ocorre dentro do inquérito que apura a organização dos movimentos antidemocráticos. Winter é uma das investigadas em outro inquérito, o das fake news. Ambos estão sob relatoria de Moraes. Há outros cinco mandados de prisão em cumprimento, todos contra lideranças do grupo.

Sara Winter , ao centro, durante protesto em Brasília no sábado (13)
Sara Winter , ao centro, durante protesto em Brasília no sábado (13). Crédito: Facebook Sara Winter

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, os pedidos de prisão foram feitos pelo vice-procurador-geral  da República, Humberto Jacques de Medeiros e enviados ao gabinete do ministro do STF na sexta-feira (12). 

Este vídeo pode te interessar

O "300 do Brasil" é o grupo bolsonarista que estava acampado na Esplanada dos Ministérios. O acampamento foi desmontado no sábado (13), em operação do governo do Distrito Federal.

FOGOS DE ARTIFÍCIO

Na noite do mesmo dia, os manifestantes voltaram a atacar os ministros do Supremo, conforme reportagem do jornal Folha de S. Paulo. Por volta das 21h30, o grupo não identificado lançou fogos de artifício contra o prédio da Corte, simulando um bombardeio. No vídeo, divulgado em redes sociais, um homem profere insultos e menciona alguns nomes de ministros: Cármen Lúcia, Rosa Weber, Dias Toffoli, Ricardo Lewandovsky e Gilmar Mendes.

O homem faz ameaças dizendo aos ministros: "Se preparem, Supremo dos bandidos, aqui é o povo que manda". Segundo a Polícia Militar do DF, um grupo de aproximadamente 30 pessoas realizou um culto na Praça dos Três Poderes e encerrou a cerimônia com fogos de artifício.

QUEM É SARA WINTER

Sara Winter ficou conhecida em 2012, quando participava do Femen, grupo feminista de origem ucraniana que organizou protestos na Eurocopa. Em 2013, ela também organizou manifestações para que a Copa do Mundo de 2014 não fosse realizada no Brasil. Chegou a ser detida, na época, numa das manifestações por ato obsceno e por chamar policiais de "assassinos".

Em 2014, Winter entrou com pedido de cassação do mandato do então deputado Jair Bolsonaro. Na ocasião, o parlamentar havia declarado que não estupraria a ex-ministra e deputada Maria do Rosário por considerá-la "muito feia"

Hoje, ela é contra o movimento feminista, apoia o presidente e é conhecida como uma das maiores lideranças da extrema-direita no Brasil. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Jair Bolsonaro MPF STF Protestos Alexandre de Moraes

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.