ASSINE

104 profissionais do Sírio-Libanês já foram afastados por coronavírus

Os afastamentos começaram em momento próximo à notificação do primeiro caso confirmado no Brasil, um homem de 61 anos de São Paulo que esteve na Itália. O paciente em questão foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein

Publicado em 30/03/2020 às 19h01
Médicos
104 profissionais do Sírio-Libanês já foram afastados por coronavírus. Crédito: Divulgação

A Covid-19 já provocou o afastamento de 104 profissionais do Hospital Sírio-Libanês, desde fevereiro até esta segunda (30).

Os afastamentos começaram em momento próximo à notificação do primeiro caso confirmado no Brasil, um homem de 61 anos de São Paulo que esteve na Itália. O paciente em questão foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein.

> CORONAVÍRUS | A cobertura completa

Não há informações sobre quantos profissionais estão afastados do trabalho no momento no Sírio-Libanês e quais funções exercem.

No domingo (29), o jornal Folha de S.Paulo revelou que 90 profissionais haviam sido afastados e que os testes dentro do hospital são feitos com frequência para segurança de funcionários e pacientes.

Procurado, o Hospital Sírio-Libanês falou que, no momento, não iria se pronunciar sobre o assunto.

A contaminação de profissionais de saúde é uma das preocupações na pandemia de coronavírus. Outros países atingidos tiveram problemas para atender pacientes, em parte, por sofrer baixas na linha de frente do enfrentamento ao vírus.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.