ASSINE
Tatiana Mareto, Karina Heid e Joice Bittencourt mostram suas produções
Tatiana Mareto, Karina Heid e Joice Bittencourt mostram suas produções. Crédito: Acervo pessoal/Montagem: Geraldo Neto

Prazer feminino: livros feitos sob medida para mulheres

Encarada como tabu, a sexualidade feminina vem ganhando destaque nas artes. A internet potencializou movimento, e número de mulheres escrevendo para mulheres cresce cada vez mais, inclusive no Espírito Santo; saiba mais

Tempo de leitura: 10min
Vitória
Publicado em 13/03/2022 às 10h35

Tabu desde os primórdios da humanidade, a sexualidade feminina vem ganhando destaque nas artes, em especial na literatura, em que cada vez mais conteúdos são feitos sob medida, tendo o prazer das mulheres como protagonista.

Há muitos leitores fiéis desse tipo de obra, mas também críticos fervorosos, como acontece com qualquer outro tema considerado tabu. Entretanto, geralmente, quem se incomoda nem mesmo é o público-alvo.

Esses conteúdos geralmente são produzidos pelas próprias mulheres, que buscam retratar relacionamentos amorosos dentro dos quais as mulheres se empoderam de seus corpos e de suas sensações,  aceitando-se como são e sendo felizes dessa forma, explorando sua sexualidade de forma plena.

Ao passo que a publicação tradicional, via editoras, ainda é restrita, há milhares de autoras que se aventuram na publicação independente, principalmente no formato digital, por meio de plataformas como Wattpad e Amazon Brasil. Esta última, aliás, remunera seus escritores e escritoras pela venda e pela leitura de e-books (livros digitais). Por isso, é cada vez mais fácil ter acesso às obras voltadas ao público feminino.

Por conta da internet, muito do senso de localização se perde, pois o alcance das obras ultrapassa diversas fronteiras. Alguns nomes bem conhecidos no meio, entretanto, vieram diretamente do Espírito Santo.

É o caso da autora Joice Bittencourt, de Vila Velha, que desde 2014 escreve romances eróticos contemporâneos e já conta com mais de 20 títulos publicados, entre eles a série "Malaman" e o livro "Tato".

 Joice Bittencourt

Joice Bittencourt

Escritora

"Quando comecei, era tudo muito pequenininho e escondido. Foi quando houve o 'boom' do 'Cinquenta Tons', e algumas personalidades que tinham muita voz foram fotografadas com um livro erótico na mão. E aquilo colocou em evidência que a mulher se interessa por conteúdo erótico, por livros, filmes, e foi diminuindo essa vergonha. "

"O que me motivou no início foi o fato de que os livros que eu lia não eram bem o que eu queria. Muitos acabavam em 'e acordaram na manhã seguinte'. E por que paravam? Por que não continuavam? Por que não mostravam? Por que era a visão masculina? A mulher não quer mais isso. O casal faz sexo, a mulher tem interesse, ela olha para o homem com o interesse físico, mas sem perder o que eu acho que a grande maioria das mulheres tem naturalmente que é a ideia do romance, de ser conquistada.”

Para a autora, o que levou à popularização não apenas da escrita mas da leitura dos romances eróticos foi justamente o fato de que hoje a mulher tem mais liberdade para se expressar de forma geral, embora seus anseios não sejam de agora.

"É a mesma mulher que às quintas e sextas-feiras à noite via 'Emanuelle' com o controlinho do lado, que cobria a capa do livro Sabrina para ninguém ver. Acho que a liberdade em outras esferas deu à mulher mais liberdade para consumir o conteúdo que quer."

Enquanto nessas histórias o prazer feminino é tratado como elemento principal, em outras, é uma consequência da trama. É o caso das obras da capixaba Karina Heid, autora de livros como “Lady Audácia”, “Um libertino enfeitiçado” e “A última peça”. Durante vários anos, ela publicou romances contemporâneos, que se passam nos dias de hoje, até decidir se aventurar por romances de época.

Ainda que a época em que as histórias se passam tenha mudado, uma coisa permanece: protagonistas fortes e conscientes de que têm direito a ter desejos.

“Eu não sabia que escrever romances me faria ter tanto 'entendimento' sobre a condição feminina, o amor feminino, as formas como o mundo olha para o amor feminino, as formas como o mundo olha para o amor. Eu não sabia que tudo isso viria com o pacote. Eu comecei a escrever pelo puro prazer de colocar sentimento no papel. Acho que é muito natural da gente simplesmente querer falar sobre coisas.”

Karina Heid

Karina Heid

Escritora

"Quando escrevi o primeiro romance, falei: 'É o que quero fazer, quero falar com mulheres'. E, querendo ou não, você começa a estudar e tenta entender essas questões e por que as pessoas olham de cara virada quando você fala que escreve 'romancinhos'. E quanto mais ia escrevendo, mais entendia que ia passando adiante alguma coisa a mais que só uma história romântica. Ia passando uma forma de as mulheres se relacionarem consigo mesmas. Não se trata só de você com seu parceiro: é você consigo mesma, é você lendo aquilo e falando: 'Posso fazer isso'. "

A imersão nos romances de época aconteceu em 2020, e, segundo Karina, o foco dessas obras ficcionais não é retratar eventos históricos com exatidão, há maior liberdade para escrever e explorar as possibilidades, e até reescrever a percepção acerca da mulher na sociedade. Por isso, geralmente, as mocinhas são fora dos padrões, como um lembrete de que nem tudo precisa ser como era.

“Toda vez que lanço um livro, mando uma pequena mensagem embutida nas histórias, como forma de pensamento: o que nos impede de sermos mais donas dos nossos narizes é o machismo estrutural, é a nossa condição de vida. Sim, nós temos direito ao desejo, a ser quem queremos ser, escolher o que queremos escolher.”

Outra autora que se destaca no meio é Tatiana Mareto, de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, que é responsável pelas séries “Amores em Kent” e “Os Eckleys”, entre outros livros. Ela observa que a “explosão” da literatura feminina é relativamente recente, e por muito tempo os conteúdos foram marginalizados, inclusive não sendo considerados “literatura de verdade”.

Tatiana Mareto

Tatiana Mareto

Escritora

"Ainda hoje, muitos não consideram o romance feminino como literatura. Mas eu foco o positivo, escrevo para mulheres, para que se sintam incluídas naquela história, vistas naquela história, acolhidas. "

No caso dos romances de época, ela explica, há muitas histórias que buscam reproduzir o máximo possível do que acontecia na época em que o enredo se desenrola, entretanto, há uma série de adaptações que colocam a mulher e a sexualidade em destaque de uma forma que era impraticável em outros séculos.

“As obras de Jane Austen, por exemplo, são românticas, mas não são sensuais, sexuais, porque naquela época isso era reprimido. Ela nunca teria sido publicada se escrevesse sobre prazer feminino, sobre questões políticas, sobre gênero. Hoje há mais liberdade para isso, embora ainda haja muito espaço para avançar.”

Outra autora é Caroline Dias, moradora de Vitória, que há cerca de um ano começou a publicar ficções voltadas para o público feminino na Amazon Brasil. Embora o foco de suas obras normalmente sejam comédias românticas, como o recém-lançado "Inimigos com Benefícios", ela decidiu também começar a explorar a literatura erótica após ver o apelo existente para esse tipo de livro em grupos de leitura dos quais participa.

“E é um público muito diverso que consome esse tipo de conteúdo. Vai desde adolescentes solteiras a mulheres casadas com mais de 40, 50 anos de idade. Todo mundo se enxerga um pouquinho nas histórias, que acabam servindo como uma válvula de escape para o dia a dia, que é bem mais monótono.”

CONFIRA AS SUGESTÕES

Inimigos com benefícios e Um Libertino Enfeitiçado
"Inimigos com benefícios" e Um "Libertino Enfeitiçado". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
  • Inimigos com benefícios
  • Autora: Caroline Dias
  • Sinopse: foi um caso de ódio à primeira vista. Desde o dia em que Daniel Reed chegou à empresa, dois anos antes, Alyssa Martins tem jurado que irá matá-lo. Ah, sim, para desespero mútuo, trabalham juntos na Reed Media Enterprises, uma das maiores empresas de marketing do mercado. E quando uma funcionária anuncia a aposentadoria, e surge a possibilidade de uma promoção, a tensão entre os dois se agrava ainda mais. Até que uma discussão leva a uma noite inesperada e Daniel faz uma proposta nada casual: inimigos com benefícios, que tal?
  • Páginas: 271
  • Onde comprar: Amazon
  • Um libertino enfeitiçado
  • Autora: Karina Heid
  • Sinopse: quando as Rosengarten se veem em vias de ser despejadas de sua casa, resolvem aceitar o impensável: voltar a unir uma delas em matrimônio com o novo dono das terras onde vivem há gerações: um rapaz recém-saído da universidade, cheio de virilidade e energia. Só não esperavam que o pedido fosse feito para Effie, a mais velha de três irmãs. Prática e direta, Effie encara a proposta como um acordo de negócios. Por um ano ela fingirá ser esposa do jovem Petersen, até ele deixar a ilha e as terras voltarem a ser delas. Effie não tem nada a perder. Era só manter o coração longe desse arranjo, e isso ela tinha certeza que conseguiria fazer. Ela não se deixaria impressionar por Niels e sua juventude exuberante, seus músculos admiráveis e o sorriso sem-vergonha. Nem jamais se renderia ao charme felino e aos beijos incendiários, até porque ele é dez anos mais novo que ela e apaixonar-se seria ridículo.
  • Páginas: 367
  • Onde comprar: Amazon
"Lady Audácia" e "Uma noite para seduzir uma libertina". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
"Lady Audácia" e "Uma noite para seduzir uma libertina". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
  • Lady Audácia (Série Damas de Aço)
  • Autora: Karina Heid
  • Sinopse: Reino de Württemberg, 1871 — Tudo que o duque de Württemberg faz desde que foi constrangedoramente alvejado na guerra é embebedar-se e fugir das demandas da mãe, que quer vê-lo casado e produzindo herdeiros. Mas se tem algo que Dietrich teme mais do que tiros, são as mulheres. Cruéis, elas conseguem ser piores que suas lembranças das balas ricocheteando sobre a cabeça. Ele prefere as trincheiras aos bailes, onde seu acidente - e fracassos justamente naquela área - rendem mexericos infinitos.Emma Thiessen, filha do meio do maior industrial do aço, foi criada em uma redoma, como uma flor vulnerável. Mas por trás da saúde frágil esconde-se uma moça inteligente e determinada a fazer algo relevante da vida. Assim que a rigorosa governanta dos Thiessen se ausenta, ela espalha seus mapas pela sala e estuda maneiras de unir-se à aclamada expedição do maior naturalista do reino rumo à África. Ela se recusa a ser uma inválida. Quando o destino a coloca frente a frente com o mais irritante, indecente e mal falado dos homens, o Duque de Württemberg, ela o repele. Obrigada a dançar com ele, convence-se que só precisa tolerá-lo por uma dança e nada mais. Mas uma dança seria tempo suficiente para se apaixonarem? A resposta seria não, se não fosse por um detalhe: a inexplicável e incompreensível reação do duque à sua audácia.
  • Páginas: 411
  • Onde comprar: Amazon
  • Uma noite para seduzir uma libertina (Série Amores em Kent)
  • Autora: Tatiana Mareto
  • Sinopse: Ele vai se casar e precisa aprender sobre sedução. Isaac McFadden é um cavalheiro de reputação irretocável que se mantém virgem à espera do casamento. Ao decidir cortejar uma dama italiana para estabelecer uma família, descobre que sua inexperiência pode atrapalhá-lo no processo. Ela é uma libertina sem respeito pelas regras sociais. Caroline Eckley é livre, não guardou sua castidade, não deseja se casar e prefere passar as noites nos clubes de cavalheiros. Foi criada entre homens que a ensinaram a não admitir restrições — e pretende ensinar outras mulheres a pensarem como ela. Uma proposta irrecusável abalará seu mundo perfeito. Quando Isaac pede que Caroline o ajude, ela precisa fugir das investidas românticas do homem mais lindo, encantador e cobiçado de Londres. Em um jogo de gato e rato, eles se estranham e se entendem em uma sequência de eventos que a levará a confrontar seus projetos de vida.
  • Páginas: 388
  • Onde comprar: Amazon
"Alívio" e "Grávida e sua". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
"Alívio" e "Grávida e sua". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
  • Grávida e sua
  • Autora: Mari Sales
  • Sinopse: Alguns homens ocupavam o tempo livre com os prazeres da carne, Marlon de San Marino era um deles. Como pagamento de uma dívida, ele aceitou fazer parte de um ménage e não imaginou que a mulher proibida ficaria gravada em sua mente para sempre.
  • Páginas: 194
  • Onde comprar: Amazon
  • Alívio (Série Malaman)
  • Autora: Joice Bittencourt
  • Sinopse: Há poucos meses trabalhando na pediatria do Malamam Apart Hospital, para Sarah foi natural escolher a enfermagem. A influências das irmãs, enfermeiras, foi crucial. Quando o destino coloca Leônidas e Sarah debaixo do mesmo teto, dia após dia a convivência mostra que os dois são muito diferentes, mas que se completam de maneira incorrigível... Principalmente na cama. As convenções da sociedade, o medo da exposição e uma chantagem cruel, culminam na separação do casal, no entanto, isso só serve para mostrar que distância não é a solução para os dois.
  • Páginas: 333
  • Onde comprar: Amazon
"Bound To Break" e "Como (não) se casar com um CEO". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
"Bound To Break" e "Como (não) se casar com um CEO". Crédito: Amazon Brasil/Reprodução
  • Bound To Break
  • Autora: Caroline Dias
  • Sinopse: deixar a casa dos pais foi o primeiro passo de Hannah rumo à liberdade. O que ela não imaginava era que havia se mudado para o apartamento vizinho ao de Elliott Barrett, o melhor amigo do irmão mais velho, por quem nutre uma paixão quase secreta desde a adolescência. Vê-lo parecia, ao mesmo tempo, um sonho e um pesadelo, principalmente quando se lembrava da última vez em que se viram. Um velório dificilmente era o lugar certo para um beijo. Ainda assim, havia acontecido. Assombrada pelo passado, e decidida a esquecê-lo, ela não hesita quando conhece o belo proprietário do clube de prazeres Golden Nights. Mas as coisas se complicam quando Elliott descobre sobre a relação e começa a atormentá-la com insinuações de que Alexander Clark não é o homem que aparenta ser. E, enquanto isso, ele mesmo luta contra os sentimentos confusos em relação à jovem, de quem estava determinado a manter distância.
  • Páginas: 350
  • Onde comprar: Amazon
  • Como (não) se casar com um CEO
  • Autora: Kel Costa
  • Sinopse:  Madelyn Cooper e Oliver Harrington nasceram em famílias muito ricas do Texas, mas mesmo com a amizade de seus pais, os dois cresceram se odiando. Desde a infância até a vida adulta, cada encontro foi preenchido por farpas, indiretas e muita implicância. Por isso, é a contragosto que Madelyn aceita trabalhar como secretária de Oliver, que é CEO da Fleet, uma empresa que fabrica aeronaves. Os pais de Madelyn estão falidos, e a jovem, que sempre viveu em meio ao luxo, se vê obrigada a arregaçar as mangas e descobrir o que significa ter um chefe e seguir ordens. Mas ninguém esperava pelas artimanhas do destino. Em uma de suas viagens de negócios para Las Vegas, Madelyn e Oliver acabam bebendo demais e acordam no dia seguinte, descobrindo-se casados e sem lembrar de nada da noite anterior.
  • Páginas: 405
  • Onde comprar: Amazon

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.