ASSINE

O que é harmonização facial? Entenda os cuidados com o procedimento

Procedimento que virou moda entre os famosos, caiu no gosto das pessoas comuns. Demanda é por um efeito mais natural

Tempo de leitura: 5min
Vitória
Publicado em 19/07/2022 às 14h01
Harmonização facial
O procedimento estético, já há alguns anos, virou moda entre os famosos. Crédito: Shutterstock

Fazer sumir aquela ruguinha do rosto ou levantar a ponta do nariz são alguns dos anseios de quem se submete à harmonização facial. O procedimento estético, que já há alguns anos virou moda entre os famosos, cada vez mais se dissemina entre pessoas comuns. Porém, se antes havia exageros, agora os pacientes buscam um efeito mais natural.

A harmonização facial é um procedimento minimamente invasivo, ou seja, sem cirurgias, com intuito de realizar o preenchimento estratégico do rosto com ácido hialurônico. O objetivo é trazer mais harmonia para o rosto do paciente. 

A dermatologista Pauline Lyrio, contudo, tem observado que "nem todos os procedimentos ditos harmonização facial realmente conferem um equilíbrio e harmonia". 

Pauline Lyrio

Dermatologista

"Há uma linha muito tênue entre aprimorar as características anatômicas de uma pessoa e o ato de transformar um indivíduo em outro, muitas vezes provocando, até mesmo, verdadeiras deformidades"

Além de escolher um dermatologista que domine uma boa técnica e tenha um bom senso estético, o segredo para obter resultados mais naturais é apostar em procedimentos que estimulem o colágeno, segundo a médica. 

"É o caso dos bioestimuladores de colágeno, dos fios de PDO e de tecnologias de ultrassom microfocado. Dessa forma, com a pele menos flácida é possível poupar maiores volumes de ácido hialurônico e ainda obter uma pele mais firme a longo prazo."

De acordo com a dermatologista, o primeiro passo da harmonização facial é a documentação fotográfica e de vídeos, que mostre realmente a face de uma maneira global. Também é feita uma avaliação geral do estado da pele, incluindo aspectos como a flacidez facial, além de uma análise da saúde do paciente para checar se ele pode ser submetido a esse tipo de procedimento.

"Nesse momento, é conferido o histórico de procedimentos realizados anteriormente, existência de doenças, alergias, o uso de medicações e até se é tabagista. Depois disso, o indivíduo deve ser avaliado como um todo e não somente no quesito volume facial, pois existem inúmeros quesitos que podem influenciar no aspecto envelhecido da face e impactar nos resultados de uma harmonização", diz.

Pauline Lyrio
Pauline Lyrio diz que  a harmonização facial é um procedimento minimamente invasivo. Crédito: Divulgação Pauline Lyrio

Pauline Lyrio

Dermatologista

"O grau de flacidez da pele e o padrão da força da musculatura da mímica facial, por exemplo, devem ser levados em conta quando estamos pensando em tratar a face com preenchedores"

Existem ainda áreas que precisam sofrer relaxamento muscular com toxina botulínica para otimizar os resultados do preenchimento, como explica Pauline Lyrio. 

"O tratamento das rugas da glabela (entre as sobrancelhas), das rugas de marionete (cantinho de boca triste) e do queixo exigem, muitas vezes, um certo grau de paralisação da musculatura ali presente para poder utilizar menores doses de preenchimento". 

Não existe um número exato de ampolas a serem usadas, destaca a dermatologista. O ideal é sempre ter bom-senso. "A quantidade de seringas vai variar de acordo com o grau de envelhecimento e as perdas volumétricas apresentadas no momento da avaliação. É importante ressaltar que não há um número máximo, mas deve-se ter muito bom-senso e saber que o ideal é fracionar em mais sessões quando o volume de seringas for muito grande. Assim, você alcança gradativamente resultados melhores, sem perder a naturalidade."

CUIDADOS

A consultora de imóveis Mayara Bueno Ferreira, 33 anos, sempre cuidou do rosto. Aos 25 anos, começou a fazer botox preventivo. As marcas de expressão começaram a incomodar e, em 2021, ela decidiu fazer a harmonização. "Nos últimos anos senti o 'bigode chinês' mais marcado do que antes. A diferença foi enorme visualmente e na qualidade da minha pele também", conta.

Mayara Bueno Ferreira
Mayara Bueno Ferreira fez harmonização no rosto. Crédito: Divulgação/ Mayara Bueno Ferreira

Entre os tratamentos feitos teve o botox, preenchimento no canto da boca e o ácido hialurônico para aumentar um pouquinho o volume dos lábios. "Gosto como ficou, sempre optei pela naturalidade nas expressões". 

Para a dentista Daniela Teixeira Gabriel, a harmonização facial precisa valorizar a beleza natural de cada paciente, além de promover a autoestima e o bem-estar.  

Daniela Teixeira Gabriel

Dentista

"O segredo está no planejamento, na avaliação criteriosa e individual. Assim, é possível alinhar o melhor produto e técnica adequada para o caso"

A profissional também ressalta a importância da avaliação geral do estado da pele. "Antes de iniciar qualquer procedimento, o paciente passa por uma anamnese, no qual é possível saber se ele está apto ou não para realizar os procedimentos. Avaliamos possíveis alergias, doenças sistêmicas, se usa algum medicamento", explica a dentista, que afirma que cada procedimento requer um cuidado diferente. 

 "Quando o assunto é preenchimento, por exemplo, peço de 24 a 48 horas sem atividade física, além de evitar pegar sol nos primeiros dias. Já os bioestimuladores de colágeno, sugiro não fazer atividade física e procurar dormir de 'barriga para cima' na primeira semana."

A banalização dos procedimentos estéticos preocupa a dermatologista Pauline Lyrio. Segundo ela, é importante compreender que "não é só sair preenchendo indiscriminadamente". O ideal também é que os procedimento sejam feitos somente na fase adulta.

"O domínio da anatomia pelo profissional é fundamental para guiar o tratamento com mais segurança e, acima de tudo, preservar os traços individuais de cada paciente. Além disso, os procedimentos não são recomendados durante a puberdade, já que o corpo ainda está sujeito à ação de hormônios sexuais que poderão impactar no posicionamento das estruturas da face", destaca. 

OS TRATAMENTOS PARA DEIXAR O ROSTO MAIS HARMÔNICO 

  • Preenchedores a base de ácido hialurônico: ainda é a melhor ferramenta para poder devolver contornos e volumes perdidos pelo envelhecimento da face. Com o tempo, sofremos perdas de coxins de gordura, reabsorção de osso e, até mesmo, perdas musculares. Quando há perdas volumétricas, o ácido hialurônico ainda é o procedimento de alta eficácia mais seguro para reposicionamento das estruturas. O uso deve ser prudente e equilibrado. 

  • Bioestimuladores de colágeno: sessões com aplicações de Bioestimuladores de colágeno, como ácido poli-L-lático e hidroxiapatita de cálcio, podem estimular o próprio organismo a produzir colágeno e, assim, conferir maior firmeza e sustentação para aplicação posterior de preenchedores à base de ácido hialurônico.

  • Ultrassom microfocado: tecnologia capaz de realizar micro zonas de coagulação térmica, gerando pontos de contração da fibras do SMAS, uma faixa de fibras que recobre o músculo nas camadas mais profundas da pele da face, que proporcionarão estímulo de colágeno e efeito lifting, que, a exemplo dos Bioestimuladores de colágeno, também será um efeito valioso para preservar preenchimento na face. 

  • Fios de sustentação: são utilizados para melhorar a flacidez e contorno quando o paciente tem uma flacidez moderada. A quantidade de fios depende da necessidade de cada paciente. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Beleza Harmonização facial

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.