ASSINE

Saiba quais são os perigos e como proteger a pele da luz azul

A luz dos dispositivos móveis pode causar manchas e rugas. Por isso, quando estiver trabalhando em casa é fundamental usar o protetor solar

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 12/04/2021 às 13h27
Mulher no celular
A luz azul, que é proveniente dos smartphones, tablets e computadores, está relacionada a diversas patologias como melasma e envelhecimento. Crédito: Freepik

O home office se tornou uma realidade para muita gente desde março de 2020. E as horas em frente ao computador ou dos  dispositivos móveis em casa podem trazer problemas para a pele. Tudo por conta da luz azul. Ela é proveniente dos smartphones, tablets e computadores, sendo considerada a porção mais energética da luz visível e está relacionada a diversas patologias como melasma e envelhecimento.

A dermatologista Karina Mazzini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que é preciso atenção no dia a dia e sempre usar filtro solar para manter uma pele saudável e protegida. "Com o passar do tempo, as luzes residenciais, ou do ambiente de trabalho, além das de aparelhos eletrônicos, como televisão, computadores e celulares podem causar manchas e envelhecimento da pele", diz. 

A luz artificial não provoca a mesma intensidade de fotoenvelhecimento do que o sol, já que a radiação solar é mais forte, cerca de 60%. "Em uma comparação no ambiente de trabalho, por exemplo, em que o tempo normal diário é de 8 horas, não equivale nem a dois minutos de exposição ao sol, no verão", diz a médica.

Luz azul

A dermatologista explica que a luz azul prejudica a pele. "Este tipo de luz aumenta a melanogênese - que é a produção de melanina - e pode causar manchas na pele, além de contribuir para o envelhecimento, com a degradação das enzimas da pele".

Por isso, como forma de proteção, é necessário o uso de filtro solar mesmo dentro de casa ou no trabalho e não só quando estiver exposto ao sol.  Também é importante a hidratação, beber muita água e utilizar cremes hidratantes para a pele, além de ser recomendado a visita ao dermatologista. "Existem protetores solares com diversas fórmulas e os para a face já são voltados para esta parte do corpo, vale investir e sempre utilizá-lo. O ideal é limpar o rosto antes de utilizar o produto e não se esquecer da região do pescoço", ressalta Karina Mazzini. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Fique bem Beleza

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.