ASSINE

Saiba como se conscientizar sobre os transtornos mentais

Psicofobia é o preconceito contra as pessoas que possuem algum tipo de transtorno mental. O estigma impregnado na questão da saúde mental atrapalha o tratamento e pode agravar o quadro

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 12/04/2021 às 02h02
Jovem com sinais de depressão. Problema, se não for tratado, pode levar a atitudes extremas como o suicídio
Segundo a OMS, 20% dos adolescentes adoecem com depressão, que é uma das principais causas do suicídio no mundo. Crédito: Shutterstock

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o planeta sofrem com algum tipo de transtorno mental. Mesmo com números tão altos, a saúde mental é uma das áreas mais negligenciadas em todo o mundo. Além da falta de recursos voltados para a área, o assunto “saúde mental” ainda é visto com muito tabu pela sociedade. Afinal de contas, vivemos em uma realidade que vende o bem-estar e a felicidade como status e reconhecimento.

E você sabe o que é a psicofobia? É o preconceito contra as pessoas que possuem algum tipo de transtorno mental. No Brasil, o termo foi cunhado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (APB) a partir da sugestão do mestre do humor Chico Anysio. O humorista, que lutou contra a depressão por 24 anos, sentiu a falta de uma palavra que definisse essa intolerância, da mesma forma que existia para o racismo e para a homofobia, por exemplo. Chico Anysio nasceu no dia 12 de abril de 1931, e por isso a data foi escolhida como Dia de Enfrentamento à Psicofobia.

De acordo com o psiquiatra Valdir Campos, presidente da Associação Psiquiátrica do Espírito Santo (APES), o estigma impregnado na questão da saúde mental atrapalha o tratamento e pode agravar o quadro. “Infelizmente, qualquer sinal de depressão, tristeza ou ansiedade, por exemplo, é visto como fraqueza pela maioria das pessoas. Vivemos na era das selfies e dos sorrisos forçados nas redes sociais. Quem abre o celular e não se enxerga nessas mídias, acaba se isolando, ou escondendo que tem um problema. As pessoas têm vergonha de pedir ajuda. E são poucas as que estão dispostas a ajudar”, diz o psiquiatra.

Os transtornos psicológicos afetam pessoas cada vez mais jovens. Segundo a OMS, 20% dos adolescentes adoecem com depressão, que é uma das principais causas do suicídio no mundo. Somente no Brasil, a estimativa é de que 50 milhões de pessoas tenham algum tipo de transtorno mental. São pessoas que muitas vezes sofrem caladas, por medo do preconceito ou por não terem a quem pedir ajuda.

“Quem tem algum transtorno mental precisa lembrar que não está sozinho nessa luta. Existem milhões de pessoas em situações parecidas. Com o tratamento adequado, é possível vencer a doença, ou ter uma vida saudável e funcional. A demora na busca pelo tratamento pode inclusive agravar o quadro”, afirmou Valdir Campos.

Ninguém está livre de desenvolver alguma doença mental. Todos os dias milhares de pessoas no mundo inteiro recebem diagnósticos de depressão, transtornos de humor, déficit de atenção, transtornos de personalidade e ansiedade, por exemplo. No contexto da pandemia de Covid-19, esse cenário pode piorar ainda mais. "O Dia de Enfrentamento à Psicofobia é fundamental para discutirmos essas enfermidades, entendermos a importância de tratá-las assim como fazemos com as doenças físicas e, principalmente, para que tenhamos mais empatia e receptividade com a singularidade do outro", diz Valdir Campos.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.