ASSINE

Mancha escura na pele pode ser pré-diabetes

Não é falta de higiene! Problema pode ser sinal de distúrbio

Publicado em 26/05/2019 às 20h11
Rosimeire se incomoda com as manchas escuras pelo corpo: "Já esfreguei até ficar vermelho, mas elas voltam a escurecer"  . Crédito: Marcelo Prest
Rosimeire se incomoda com as manchas escuras pelo corpo: "Já esfreguei até ficar vermelho, mas elas voltam a escurecer" . Crédito: Marcelo Prest

Desde muito nova, a dona de casa Rosimeire Costa, 41 anos, convive com manchas escuras na pele que a incomodam bastante, sobretudo quando ela percebe olhares estranhos alheios. “Tem gente que pergunta se é sujeira”, diz ela.

Diferente do que podem parecer, essas manchas não são causadas por falta de higiene, algo que se resolveria facilmente com água e sabão. Elas têm um nome médico e são um sinal que indica um pré-diabetes.

A chamada acantose nigricans se manifesta por manchas pigmentadas e com textura aveludada. “É um engrossamento das camadas mais superficiais da pele que leva a esse escurecimento de aparência aveludada. Ocorre principalmente em regiões de dobras, como pescoço, virilha, axilas, qualquer região de pregas”, diz a endocrinologista Rosina Erthal Villela.

Essa manifestação é mais comumente associada a distúrbios endócrinos. “A causa mais frequente é o excesso de insulina no organismo, o que está relacionado a um princípio de diabetes. Geralmente, são pessoas com síndrome metabólica, com aumento de peso e de gordura abdominal”, explica Rosina.

Por isso o problema não é resolvido com banho. “Não adianta. E se esfregar demais, passar limão para tentar clarear a mancha, por exemplo, só tende a piorá-la”, avisa a especialista.

Rosimeire já tentou de tudo. “Tenho no pescoço, nas costas e entre os seios. Já usei vários produtos clareadores, uns até bem caros. Já esfreguei até ficar vermelho, mas a mancha volta a escurecer. E usei maquiagem para disfarçar, só que não adiantou também”, lamenta.

Tentar “apagar” as manchas à força, portanto, é a pior medida. Nem um dermatologista consegue dar jeito. “As manchas têm uma aparência de sujeira, de encardido. A pessoa esfrega com bucha, mas isso vai piorando o problema porque é uma agressão à pele. A pele acha que está sendo agredida e, para se defender, produz uma pele mais grossa, mais escura”, afirma a dermatologista Endrika Trindade Magnago.

Tratar a pele pode suavizar um pouco os sinais, segundo ela: “Um dermatologista pode ajudar a melhorar a parte estética, indicando cremes à base de ureia, de ácido retinóico e ácido salicílico, o que vai diminuir a espessura da pele e, consequentemente, clarear essas manchas, como se fosse esfoliando gradativamente. Mas isso não resolve de vez o problema”.

DIETA

O melhor a fazer é tratar a causa, que consiste em dieta balanceada e exercícios. “É importante acertar a alimentação, com alimentos mais saudáveis, e fazer atividade física regularmente. Pode fazer uso de medicamentos para controlar a insulina. E à medida que a pessoa vai perdendo peso as manchas vão desaparecendo”, diz a endocrinologista.

Na maioria dos casos de acantose, a pessoa está acima do peso. Mas a doença pode ter fundo genético. “Ela pode ser hereditária. E pode aparecer em pessoas não obesas, assim como muitos obesos não tem essas manchas”, destaca Endrika.

Rosimeire soube pela mãe que os irmãos dela também têm os mesmos sinais na pele. Mas a dona de casa nunca foi investigar a fundo o que é.

O fato é que as manchas, apesar de não representarem um perigo em si, geram um desconforto social muito grande. “A acantose pode afetar uma crianças que, na fase escolar, acaba sofrendo muito. Fica ansiosa porque os coleguinhas reparam e comentam que ela não toma banho direito. E aí, por causa dessa ansiedade, ela acaba comendo mais, principalmente doce, que traz sensação de bem-estar”, comenta a nutricionista Camila Gomes.

O primeiro passo, aponta ela, é melhorar os hábitos alimentares. “Ela precisa evitar alimentos que elevam a glicose. Controlar a ingestão de carboidratos, de açúcar refinado, e consumir mais produtos de baixo índice glicêmico, como pão integral. Dependendo do quanto a pessoa consegue colocar em prática esses novos hábitos, de três a seis meses ela pode ter uma reversão do quadro”, afirma Camila.

E as manchas, claro, podem sumir com o tempo. “Elas são um sinal que o corpo está dando, que se a pessoa não fizer nada, pode ter diabetes tardio, o diabetes tipo 2, que é adquirido por maus hábitos”, diz a nutricionista.

SAIBA MAIS

A doença

A acantose nigricans é uma doença de pele caracterizada por manchas escuras e engrossadas que dão aspecto enrugado, que surgem em locais como pescoço, axilas, virilha etc

A quem afeta

Pode afetar pessoas saudáveis ou estar associada a outras doenças como diabetes, obesidade, doenças ovarianas, distúrbios metabólicos, entre outros

Tratamento

Esfregar demais tende a piorar o problema. Alguns produtos clareadores podem melhorar o aspecto. Mas as mancha só vai sumir quando a causa for combatida

 

A Gazeta integra o

Saiba mais
saude

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.