ASSINE

Infectologista capixaba cria desenho animado para dar dicas de saúde

No primeiro episódio, os personagens ensinam as crianças sobre a importância de lavar bem as mãos. Confira o bate-papo com o idealizador, o médico Rafael Nunes Malta

Publicado em 04/10/2019 às 08h00
O médico capixaba Rafael Malta, que criou o desenho animado Doutor Infecto para ensinar dicas de saúde às crianças. Crédito: Divulgação
O médico capixaba Rafael Malta, que criou o desenho animado Doutor Infecto para ensinar dicas de saúde às crianças. Crédito: Divulgação

Aninha, Tozinho, Rorô e o cãozinho Bactrim são uma turma animada que está aprendendo a cuidar da saúde. E para não deixar ninguém ficar doente entra em ação do Doutor Infecto! Juntos, eles ensinam boas práticas à garotada, tudo com muita diversão! 

Os personagens desse desenho animado foram criados pelo médico infectologista capixaba Rafael Nunes Malta, que atua em um hospital particular na Grande Vitória e na equipe de controle de infecção do Hospital São Lucas.

O primeiro episódio da temporada estreou nesta quinta-feira (3) em diversas plataformas, como Youtube, Facebook, Instagram, além do Spotify, Apple Music, entre outras. Nele, a turminha fala sobre a importância de lavar bem as mãos.

"Achei legal estrear no mês das crianças. E no próximo dia 15 é comemorado o 'Dia Mundial da Higienização das Mãos'. O tema é importante. Toda criança pode aprender sobre esse cuidado, que previne várias doenças. No episódio, mostramos que é preciso lavar bem as mãos depois de usar o banheiro ou antes de comer alguma coisa. No final, a música vai ficando mais rápida para ensinar o passo a passo de como lavar as mãos corretamente. Ensinamos a técnica correta, que é, inclusive, aplicada dentros dos hospitais", conta Rafael Malta, ou melhor, o Doutor Infecto.

Tudo saiu da imaginação do médico, que tem uma filhinha recém-nascida em casa, a Rafaela. O conteúdo ainda passou pelo crivo da sobrinha dele, a pequena Ana Alice, de 5 anos. "Ela ia assistindo e aprovando, dando aval se estava gostando ou não", comenta.

Um projeto que ele começou a elaborar faz tempo. "A ideia surgiu há alguns anos, quando comecei minha residência em infectologia. Sempre quis fazer um conteúdo para o público infantil. E nos últimos meses tenho trabalhado criando os personagens, que são diversificados, têm personalidades diferentes. Além disso, fiz os roteiros, as músicas. E uma equipe faz a gravação e a animação", diz o especialista.

Nos próximos episódios da temporada, entrarão temas como dengue, imunidade, vacinação... "Na semana que vem também vamos lançar o clipe só com a música, pensando nas crianças pequenas, que não têm muita paciência para historinha", diz o infectologista.

E não para por aí. "Estamos produzindo ainda um teatrinho para levar shows para as escolas. Isso deve sair dentro dos próximos seis meses", revela Rafael.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.